Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Barragem em Barão de Cocais está em nível máximo de alerta para rompimento

A cidade entrou em alerta máximo para um possível rompimento e as sirenes foram ouvidas no município pela segunda vez em pouco mais de um mês

Por Da Redação Atualizado em 23 mar 2019, 11h16 - Publicado em 23 mar 2019, 00h14

O nível de alerta da barragem de Gongo Soco, da Vale, em Barão de Cocais (MG), subiu de 2 para 3, na noite desta sexta-feira, 22. A cidade entrou em alerta máximo para um possível rompimento e as sirenes foram ouvidas no município.

O prefeito da cidade, Dércio Geraldo dos Santos (PV), afirmou que as sirenes foram disparadas no fim da noite, mas ainda não se sabe o motivo da mudança do nível de risco. E, apesar do alerta máximo, não há motivo para pânico: “A área de autossalvamento (região onde a lama passaria em caso de rompimento da barragem) já foi toda evacuada quando o nível de alerta subiu para dois. Ou seja, não há nenhum risco para a população. O que há são pessoas na zona secundária, que não correm risco de serem diretamente atingidas”. 

No dia 8 de fevereiro, 452 moradores das comunidades de Piteiras, Socorro e Tabuleiro, que ficam na zona de autossalvamento, foram retirados de suas casas depois de sirenes serem acionadas na cidade por risco de rompimento de barragem.

Em entrevista coletiva, o tenente coronel Flávio Godinho, porta-voz da Defesa Civil, afirmou que há risco real de rompimento. Segundo ele, a elevação do nível de risco ocorreu após estudos de segurança realizados na barragem por uma empresa que informou a situação à Vale, que repassou os dados aos órgãos de segurança.

Godinho informou ainda que sete viaturas do batalhão de choque da Polícia Militar estão a caminho do município para ajudar na retirada das pessoas da área secundária, que fica a dez quilômetros da barragem, caso a estrutura venha a se romper. Essas pessoas teriam pouco mais de uma hora para sair do local.

Continua após a publicidade

De acordo com a prefeitura de Barão de Cocais, o acionamento das sirenes foi uma orientação da Agência Nacional de Mineração.

Em nota, a Vale informa que a medida preventiva se faz necessária tendo em vista o fato do auditor independente ter informado a condição crítica de estabilidade da barragem. Com o nível 3, foi acionada a sirene de alerta que cobre a zona de autossalvamento, como reforço de medida preventiva, já que a evacuação da área próxima à barragem foi realizada em 8 de fevereiro.

A Vale reitera que continua adotando uma série de precauções para aumentar a condição de segurança de suas barragens e lembra que Gongo Soco é uma das dez barragens inativas remanescentes e faz parte do plano de descaracterização anunciado pela empresa.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.