Clique e assine com até 92% de desconto
Ricardo Rangel

O general e sua inconcebível nota

Há muita coisa inconcebível no Brasil de hoje

Por Ricardo Rangel Atualizado em 22 Maio 2020, 17h41 - Publicado em 22 Maio 2020, 17h38

O general Augusto Heleno emitiu uma nota oficial dizendo ser “inconcebível” que sequer exista um pedido de apreensão do telefone celular do mais poderoso funcionário público brasileiro, o presidente Bolsonaro. E que isso “pode ter consequências imprevisíveis para a segurança nacional”.

Há mesmo muita coisa inconcebível no Brasil de hoje.

É inconcebível, por exemplo, que tenhamos chegado a um ponto em que o presidente da República é alvo de um inquérito em que é investigado por seis crimes diferentes. E que uma enorme parcela da população acredite que ele é culpado.

É inconcebível que um ministro de Estado saia de seus cuidados para emitir uma nota para tentar intimidar um ministro do Supremo Tribunal Federal e o Procurador-Geral da República.

É inconcebível que um general de quatro estrelas do Exército Brasileiro, de folha corrida irretocável, deixe sua biografia para trás para se tornar estafeta do presidente mais indigno do cargo que a República já conheceu.

E ainda vamos ver muita coisa inconcebível.

Continua após a publicidade
Publicidade