Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Vejam quem apareceu para debater…

Opa! Sempre que Pedro Abramovay pensa, eu fico animado. Vocês sabem quem é ele… Basta procurar no arquivo do blog. Ligado a Márcio Thomaz Bastos, é considerado o geniozinho do direito achado no petismo. Escreveu hoje um artigo na Folha obliquamente a favor de Dirceu.   Teceu considerações sobre a chamada “teoria do domínio do […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 07h43 - Publicado em 4 out 2012, 06h51

Opa! Sempre que Pedro Abramovay pensa, eu fico animado. Vocês sabem quem é ele… Basta procurar no arquivo do blog. Ligado a Márcio Thomaz Bastos, é considerado o geniozinho do direito achado no petismo. Escreveu hoje um artigo na Folha obliquamente a favor de Dirceu.  

Teceu considerações sobre a chamada “teoria do domínio do fato”. Escreve:
(…)
“Para a teoria do domínio do fato, se o presidente da empresa sabia dos crimes, tinha o poder de realizá-los ou impedi-los e sua vontade foi importante para que fato criminoso acontecesse, ele também pode ser condenado.
Assim, no caso de José Dirceu, o que deve ficar claro é que a decisão de aplicar a teoria do domínio do fato não diminui em nada a necessidade de apresentar provas da sua participação no crime.
Provas de que ele sabia, de que tinha poder sobre os atos e de que sua vontade foi fundamental para o acontecimento dos crimes.
É por isso que o ministro Joaquim Barbosa, mesmo fazendo referência à teoria do domínio do fato, gasta tanto tempo falando de reuniões.
Porque, ainda bem, não inventaram, até agora, nenhuma teoria capaz de autorizar a condenação sem provas.”

Voltei
É verdade! Abramovay tem razão. Além de vários testemunhos deixarem claro e evidente que os acordos políticos celebrados com malas de dinheiro só tinham validade depois de chancelados por José Dirceu — ele tinha o domínio do fato —, há uma pletora de provas de que ele mantinha encontros tanto com os que pagavam a propina como com os que recebiam.

Numa espécie de verdadeira celebração de culpados, um só encontro reuniu Dirceu, Kátia Rabello, Marcos Valério e Delúbio Soares. Pouco antes de se efetivar mais um dos empréstimos fraudulentos.

Abramovay fique tranquilo. Há as provas de que Dirceu tinha… o domínio do fato.

Post publicado originalmente às 4h55
Continua após a publicidade

Publicidade