Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Emirados Sáderes chama os militantes do MTST de “vira-latas”

Pois é… Vocês sabem muito bem o que penso dos métodos empregados pelos autointitulados “sem-teto” reunidos no MTST, o tal movimento liderado pelo coxinha e radical-chique Guilherme Boulos, o dublê de filósofo, psicanalista e líder revolucionário. Escrevi um post a respeito deste senhor, que já foi transformado em herói por setores da imprensa que não conseguem […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 03h50 - Publicado em 16 Maio 2014, 05h33

Pois é…

Vocês sabem muito bem o que penso dos métodos empregados pelos autointitulados “sem-teto” reunidos no MTST, o tal movimento liderado pelo coxinha e radical-chique Guilherme Boulos, o dublê de filósofo, psicanalista e líder revolucionário. Escrevi um post a respeito deste senhor, que já foi transformado em herói por setores da imprensa que não conseguem resistir ao charme de alguém que abre mão dos bens materiais… Setores da nossa imprensa não suportam é gente que, não tendo os tais bens, queiram conquistá-los. A mentalidade tacanha de certas áreas do pensamento acha nobre que aquele que os tem possa escolher não tê-los, mas considera uma traição que aquele não os tem escolha conquistá-los. Ou por outra: desprezamos os que enriquecem com o suor do seu rosto, mas enxergamos poesia em quem, suando muito, empobrece. Não sei se pegaram o sentido irônico da coisa…

Pois bem. Eu não pego leve com essa gente, não! Não gosto nada! Não é da minha turma. Eles não gostam muito do governo Dilma; eu também não. Mas não gostamos por motivos diferentes. Sou muito duro com seus postulados boçais e com suas práticas ilegais. Mas chamar de vira-lata??? Ah, isso, eu nunca fiz! E não fiz porque não acho. E também porque, de resto, nem costumo usar essa expressão como ofensa. Uma das minhas cadelas é a Pipoca. Vira-lata de tudo. Vira-lata como sou. De sangue misturado. Eu gosto de vira-latas em sentido estrito.

Mas Emir Sader usou a expressão para ofender mesmo. Sim, este esbirro menor do petismo; este “inteliquitual” do apedeutismo esquerdopata, dado a espancar as ideias com a mesma sem-cerimônia com que espanca a “inculta & bela”, este pensador à beira do analfabetismo — como já demonstrei aqui tantas vezes —, este neoburguês do petismo, acreditem, chamou, no Twitter, os sem-teto que protestaram em Itaquera de vira-latas. Vejam:

Emir Sader vira-lata

Como vocês sabem, membros da Gaviões da Fiel impediram que os manifestantes chegassem perto do Itaquerão. Reparem com que alegria este senhor trata do assunto — ousaria dizer que há mesmo um indiscreto incentivo ao confronto. Emir Sader não é um homem, mas um país mental. Daí que eu o tenha apelidado de “Emirados Sáderes”. E arremato com um e-mail que me mandou certa feita o querido Nelson Motta, por ocasião do lançamento de um livro deste gigante. Diz tudo e bem, como sempre:

Reinaldo,
O novo livro dos Emirados Sáderes se chama A Nova Toupeira – Caminhos da Esquerda Latinoamericana. Deve ter sido escrito na primeira pessoa. Será autobiográfico? Ou de confissões? É ou não é o país da piada pronta? Grande abraço do leitor militante,
Nelson

Continua após a publicidade
Publicidade