Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Eleição nos EUA: escolha de vice de Obama cria mal-estar com Hillary

Por Sérgio Dávila, na Folha:A semana que foi planejada para ser a da coroação de Barack Obama como o candidato do Partido Democrata à Presidência dos EUA e de demonstrações coreografadas de união da agremiação em torno de seu nome começa a apresentar suas primeiras fissuras. A origem é Hillary Clinton.Os indícios são vários. Primeiro, […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 19h05 - Publicado em 25 ago 2008, 06h01
Por Sérgio Dávila, na Folha:
A semana que foi planejada para ser a da coroação de Barack Obama como o candidato do Partido Democrata à Presidência dos EUA e de demonstrações coreografadas de união da agremiação em torno de seu nome começa a apresentar suas primeiras fissuras. A origem é Hillary Clinton.
Os indícios são vários. Primeiro, as reclamações que chegaram ao público via assessores da ex-primeira-dama de que ela teria se ressentido por não ter sido avisada antes que Obama havia optado pelo senador Joe Biden como vice. Depois, a maneira como vem tratando o dia de seu discurso na convenção democrata, amanhã, com equipe própria e sem interferência do comando democrata. Por fim, os protestos que seus apoiadores prometem fazer.
Numa teleconferência em que falou com seus delegados recentemente, a senadora foi indagada sobre a possibilidade de vir a ser vice de Obama. Respondeu que a decisão estava nas mãos do senador e não descartou a possibilidade, apesar de considerá-la remota.
O fato é que Hillary esperava deferência maior do ex-rival pela indicação democrata. “É fácil enxergar isso como desrespeito, e alguns clintonistas vão fazê-lo”, disse o estrategista político James Carville.
A campanha do republicano John McCain percebeu o mal-estar e procura capitalizá-lo. Às 3 da manhã de ontem, entrou no ar anúncio que diz que Hillary foi “passada para trás” na escolha para vice. “Ela ganhou milhões de votos, mas não está na chapa. Por quê? Por falar a verdade.” Segue uma série de críticas feitas por Hillary a Obama durante as primárias.
O público-alvo de McCain são os 18 milhões de eleitores que votaram em Hillary nas primárias democratas. O horário do lançamento brinca com anúncio negativo a Obama que a campanha de Hillary exibiu na TV, durante as primárias, que mostrava um telefone tocando de madrugada na Casa Branca e insinuava que Obama era inexperiente para o cargo.
Assinante lê mais aqui
Publicidade