Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Lula diz a STF que acesso a mensagens da Vaza-Jato foi incompleto

Defesa do ex-presidente cobrou explicações da Polícia Federal pela suposta imposição de filtros ao material

Por Mariana Muniz 21 jan 2021, 13h11

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF) um ofício em que afirma que as mensagens da Vaza-Jato não foram integralmente compartilhadas pela Polícia Federal com os advogados.

O material apreendido no âmbito da chamada operação Spoofing consiste em mensagens hackeadas de integrantes do MPF no Paraná e do ex-juiz Sergio Moro. O compartilhamento dos dados hackeados foi determinado pelo ministro Ricardo Lewandowskiem no final do ano passado. 

De acordo com os advogados de Lula, que começaram a analisar o material entregue pela PF na semana passada, a quantidade de arquivos fornecidos tem “volume bem inferior” aos  7 terabytes inicialmente informados.

A Lewandowski, os advogados do petista alegam que o Polícia Federal impôs filtros ao material entregue e analisou o material apreendido junto a um dos hackers. À época, a Spoofing atingiu outras quatro pessoas.

Por isso, a defesa do ex-presidente cobrou esclarecimentos do chefe da Divisão de Contrainteligência Policial da PF e quer que ele seja intimado a proceder  “com o compartilhamento integral dos arquivos arrecadados ao longo da Operação Spoofing”. 

Continua após a publicidade
Publicidade