Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Eleição varre lideranças do MDB

Comissão Executiva Nacional quase toda fora da política

Por Pedro Carvalho Atualizado em 16 out 2018, 15h53 - Publicado em 16 out 2018, 15h36

O MDB é um dos maiores derrotados nessas eleições. Para se ter uma ideia, com exceção do 1º secretário-geral Mauro Lopes, eleito deputado federal em Minas Gerais, todos os outros membros da Executiva Nacional ficarão sem cargo público a partir de 2019.

Michel Temer, presidente da legenda, deixará o Planalto; Romero Jucá, o 1º vice-presidente, não conseguiu a reeleição no Senado por menos de 500 votos; Eliseu Padilha, o seguinte na sucessão do MDB, não tentou cargo algum; João Arruda, o terceiro, perdeu a disputa ao governo do Paraná.

O 2º secretário, Leonardo Picciani, morreu na praia em disputa pela reeleição na Câmara. Tesoureiro, Eunício Oliveira também ficou fora do Senado. E Valdir Raupp, 2º tesoureiro, teve uma derrota acachapante em Rondônia.

 

Continua após a publicidade
Publicidade