Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

De volta a 1960

Entre 2001 e 2009, a renda dos 10% mais pobres cresceu cinco vezes mais do que a dos 10% mais ricos. Uma queda expressiva da desigualdade. Mas é surpreendente constatar que, segundo um estudo inédito do economista Marcelo Neri, da FGV/RJ, esse bom resultado fez apenas com que a desigualdade retornasse ao mesmo patamar que […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 12h47 - Publicado em 19 fev 2011, 00h10

Entre 2001 e 2009, a renda dos 10% mais pobres cresceu cinco vezes mais do que a dos 10% mais ricos. Uma queda expressiva da desigualdade.

Mas é surpreendente constatar que, segundo um estudo inédito do economista Marcelo Neri, da FGV/RJ, esse bom resultado fez apenas com que a desigualdade retornasse ao mesmo patamar que o Brasil exibia em 1960 — um passeio de 360 graus.

Ou seja, o país está muito mais rico, mas nesse item apenas reverteu o mau desempenho das décadas de 60, 70, 80 e 90. A propósito, 1990 foi o ano de pico da desigualdade — não por coincidência foi também o auge da espiral inflacionária.

O mesmo estudo ressalta que a queda de desigualdade na primeira década do século entre os Brics é hoje uma exclusividade do Brasil.

Continua após a publicidade
Publicidade