Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Moro passa a defender indicados na PF depois de ser cobrado na corporação

Ministro já teve tempos mais populares entre os federais; Radar revelou que ele havia decido lavar as mãos

Por Robson Bonin - 11 set 2019, 05h26

Ao abrir investigação para apurar a conduta da Polícia Federal que investigava irregularmente Hélio Negão, o deputado amigo de Jair Bolsonaro, Sergio Moro reagiu a cobranças da Polícia Federal para que defendesse Maurício Valeixo e o superintendente Ricardo Saadi.

Como o Radar revelou na semana passada, a investida contra Negão foi o que detonou a guerra de Bolsonaro contra os delegados. Uma ala da PF mirou em Negão justamente para queimar Saadi no Planalto, mas atingiu Valeixo (leia mais em O real motivo da guerra de Bolsonaro contra a PF).

O movimento, no entanto, talvez seja tardio. Como o Radar mostrou, Anderson Torres, cotado para o lugar de Valeixo na Polícia Federal, foi festejado na semana passada como novo “DG” (leia mais em Cenas de um possível novo diretor da Polícia Federal).

Publicidade