Clique e assine a partir de 9,90/mês
Publicidade
Marcos Emílio Gomes A coluna trata de desigualdade, com destaque para casos em que as prioridades na defesa dos mais ricos e mais fortes acabam abrigadas na legislação, na prática dos tribunais e nas tradições culturais
Maiores instituições financeiras lucraram R$ 63 bilhões em 2019, mas aparecem muito mal nas iniciativas de doações para a luta contra o coronavírus
Ataque do ministro a empresa de planos de saúde para idosos é desproporcional às informações existentes até agora e esquisito, considerando-se seu currículo
Presidente tem poder para ordenar ação intensa das Forças Armadas na guerra contra a pandemia – uma possibilidade a lembrar no 31 de março
A solidariedade e as medidas para auxiliar os excluídos poderiam representar uma inversão no processo de institucionalização da desigualdade
A tentativa de passar a conta da quarentena para os trabalhadores e o risco de o socorro aos que vivem na informalidade chegar tarde demais
A pandemia cria ambiente para a proliferação do racismo, do medo do contágio via pobreza e da caridade inócua para os miseráveis
A epidemia e a tentativa de conter o colapso sanitário agravarão a desigualdade. O presidente não tem discernimento para ver o problema
Serviço de transporte por automóvel piora os congestionamentos e oferece privilégios que comprometem a eficiência do sistema público*
Epidemia e petróleo abalam a renda dos ricos, mas desigualdade deve crescer novamente. No Brasil, o momento de reformas também pode ser uma chance perdida*
Trump nega cidadania a imigrantes inscritos em projetos assistenciais e Bolsonaro pune famílias pobres de estados governados por seus adversários políticos*
Publicidade