Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O misterioso trajeto do passeio de moto de Bolsonaro em São Paulo

Presidente confirma a realização de ato com simpatizantes no estado no próximo sábado, dia 12, fala em percurso de 120 km e cita ida a Jundiaí e Campinas

Por Camila Nascimento Atualizado em 9 jun 2021, 12h16 - Publicado em 9 jun 2021, 12h14

O presidente Jair Bolsonaro vai fazer um passeio de moto com simpatizantes em São Paulo no próximo sábado, dia 12, mas o trajeto da “motosseata” bolsonarista é ainda uma grande incógnita.

O evento, organizado inicialmente por evangélicos e batizado de “Acelera para Cristo”, previa um trajeto do sambódromo do Anhembi, na cidade de São Paulo, até a Avenida Paulista. Depois, o próprio presidente afirmou, em conversa com apoiadores, que o trajeto passaria pelas cidades de Jundiaí e Campinas. “Tem que sair de São Paulo, Jundiaí, Campinas e voltar”, disse

Nesta quarta-feira, 9, em nova conversa com simpatizantes, ele disse que o trajeto deve ter 120 km no total, mas não informou qual seria o percurso — a distância entre Jundiaí e São Paulo é de 62 km.

Imagem usada para convocação de passeio de motos com Bolsonaro no dia 12 de junho, em São Paulo
Imagem usada para convocação de passeio de motos com Bolsonaro no dia 12 de junho, em São Paulo Redes sociais/Reprodução

Bolsonaro afirmou que é necessário um percurso maior do que o inicialmente previsto “porque a previsão são 100 mil motociclistas”. “Eles falaram quarenta quilômetros. Quarenta quilômetros para 100 mil motos? O cara vai ligar o motor e ficar parado”, ironizou.

Anteriormente, no entanto, organizadores do ato, apoiadores e o próprio presidente falavam em uma adesão bem maior. “Eu acho que em São Paulo deve dar 1 milhão de motos lá”, disse Bolsonaro no dia 31 de maio.

Outras cidades

Na segunda-feira, 7, o presidente, questionado por um apoiador, sugeriu que poderá fazer um passeio motociclístico também em Chapecó (SC) — o prefeito da cidade, João Rodrigues (PSD), já foi elogiado pelo presidente e pelos bolsonaristas por sua adesão ao chamado “tratamento precoce”, que consiste no uso de medicamentos sem eficácia comprovada contra a Covid-19. “Depois que ocorrer o (passeio) de sábado (em São Paulo), a gente marca um outro. Não sei qual vai ser. Se bem que o João Rodrigues tem peso”, disse.

Continua após a publicidade

No encontro com apoiadores na manhã desta quarta-feira, ele voltou a cogitar um passeio em Santa Catarina, mas desta vez em Florianópolis. “Eu vou até lá. Estou convidado do João Rodrigues, Jorginho Mello, entre outros, para a gente dar um passeio lá”, disse. Jorginho Mello (PL) é senador pelo estado de Santa Catarina.

Manifestações

O passeio em São Paulo será o terceiro de Bolsonaro com simpatizantes motociclistas — ele já fez eventos semelhantes em Brasília, no dia 9, e no Rio de Janeiro, no dia 23 de maio. A organização dos atos obedece sempre à mesma lógica: o presidente diz que participa se for convidado, depois diz que surgiu um convite, confirma a participação e a divulgação do evento viraliza nos perfis bolsonaristas nas redes sociais.

Os eventos são usados por Bolsonaro para tentar dar uma demonstração de força em momento de perda de popularidade e de pressão política, com o agravamento da pandemia e a CPI em andamento no Senado para investigar a atuação do governo no combate à doença.

A realização desses atos acabou provocando uma contraofensiva da oposição, que voltou a realizar protestos de rua no dia 29, após um longo hiato, e programa outro para o próximo dia 19 de junho.

 

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade