Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Favreto doou R$ 1.060 a campanhas de deputado que pediu liberdade de Lula

Paulo Pimenta (PT-RS), um dos autores da ação aceita pelo desembargador, recebeu dele 1.000 reais em 2002 e 60 reais em 2006

Por João Pedroso de Campos Atualizado em 9 jul 2018, 17h09 - Publicado em 9 jul 2018, 15h16

O desembargador federal Rogério Favreto, autor da decisão que mandou soltar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no domingo, 8, mas que acabou barrada pelo presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), contribuiu financeiramente com campanhas petistas nas eleições de 2002 e 2006, época em que ainda não vestia toga e era filiado ao PT ele foi petista de carteirinha entre 1991 e 2010. Nos dois pleitos, Favreto desembolsou, no total, 2.360 reais a candidatos do PT do Rio Grande do Sul, seu estado de origem.

O candidato que mais se beneficiou da generosidade de Rogério Favreto é, curiosamente, um dos autores do pedido de liberdade de Lula, aceito pelo desembargador: o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS). Nas duas eleições, Pimenta recebeu, ao todo, 1.060 reais de Favreto.

Em 2002, quando foi eleito pela primeira vez à Câmara, o petista foi agraciado com 1.000 reais vindos do bolso de Rogério Favreto, que naquele ano também desembolsou 350 reais à campanha de Juarez Pinheiro, outro candidato do PT gaúcho a deputado federal.

Reprodução/TSE

Já em 2006, Paulo Pimenta voltou a ser lembrado por Rogério Favreto, embora com um montante bem mais modesto: 60 reais. Naquela campanha, o preferido de Favreto foi o petista Estilac Xavier, que recebeu dele 950 reais à sua fracassada campanha a deputado estadual pelo Rio Grande do Sul.

Reprodução/TSE

No período em que foi filiado ao PT, Rogério Favreto ocupou cargos nos governos dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff. Ele se afastou do partido em 2010 e, em 2011, foi nomeado por Dilma desembargador do TRF4.

Continua após a publicidade

Publicidade