Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
José Casado Por José Casado Informação e análise

Sem Datena, Kassab improvisa e vai à luta com Pacheco

Evento preparado para lançar o candidato paulista do PSD ao Senado virou ato de promoção da candidatura presidencial do senador mineiro Rodrigo Pacheco

Por José Casado Atualizado em 25 nov 2021, 04h24 - Publicado em 25 nov 2021, 08h30

Gilberto Kassab, ex-prefeito de São Paulo e presidente do PSD, realizou uma proeza política.

Alugou o salão de um hotel em Brasília e convidou mais de uma centena de pessoas para o show da filiação ao partido do apresentador de televisão José Luiz Datena.

Tudo pronto, convidados chegando e Datena em São Paulo, a mais de mil quilômetros de distância, justificando a ausência por video — ele seria apresentado como candidato ao Senado, mas preferiu adiar e aguardar definições no quadro eleitoral paulista.

Kassab improvisou. Transformou o evento de ontem para Datena em novo ato de promoção da candidatura presidencial de Rodrigo Pacheco, presidente do Senado.

O partido tem 35 deputados, 12 senadores e deve disputar governos de oito estados. A candidatura presidencial de Pacheco já dificulta os movimentos dos adversários do PSD em Minas Gerais, segundo maior colégio eleitoral, que reúne 16 milhões de votos (cerca de 11% do país).

Ele assumiu o microfone reservado a Datena, e desfrutou. Evitou assumir a candidatura com o clássico “estou à disposição do partido”, criticou o clima de radicalismo e os adversários que vestem “uma camisa da seleção brasileira para sair às ruas xingando o Supremo tribunal Federal e o Congresso Nacional”.

Kassab não perdeu a viagem. Na falta do candidato a senador, foi à luta com o candidato a presidente.

Continua após a publicidade

Publicidade