Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

#SanatórioGeral: Supremo Casal

Gilmar sabe que todos são iguais perante a lei, mas ele e sua mulher são mais iguais que os outros

“O que causa enorme estranhamento e merece pronto repúdio é o abuso de poder por agentes públicos para fins escusos, concretizado por meio de uma estratégia deliberada de ataque reputacional a alvos pré-determinados. Tal estratégia revela-se clara no presente caso, em que ilações desprovidas de qualquer substrato fático são feitas não apenas em relação a minha pessoa, mas em relação a todo o Poder Judiciário nacional”. (Gilmar Mendes, ministro do STF, em petição enviada a Dias Toffoli sobre a investigação da Receita Federal contra ele e sua mulher, lembrando que todos são iguais perante a lei, mas o Supremo Casal é mais igual que os outros)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Mauro de Souza

    Os auditores esqueceram que eles são deuses, não são meros mortais.

    Curtir

  2. Ricardo jacone

    Não lembro do Gilmar reclamando antes das ações do COAF, da Receita ou dos Auditores.

    Curtir

  3. antonio santos

    E Ricardo, nem dos vazamentos direcionados!

    Curtir

  4. Geraldo Pereia

    Risível, se não fosse trágico.

    Curtir

  5. Paulo Bandarra

    Eu concordo com ele. Dos duzentos milhões da ALERJ a imprensa só quer saber o 0,5% do Flávio Bolsonaro.

    Curtir