Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Roberto Freire dirigiu o processo que aposentou o comunismo ortodoxo no Brasil

Em 1992, quando o Partido Comunista Brasileiro se transformou no Partido Popular Socialista, o deputado Roberto Freire precipitou um processo de mudanças que foram muito além da troca do nome da legenda e do cargo que ocupava. Último presidente do PCB e primeiro presidente do PPS, coube a Freire a missão de sepultar o velho […]

Em 1992, quando o Partido Comunista Brasileiro se transformou no Partido Popular Socialista, o deputado Roberto Freire precipitou um processo de mudanças que foram muito além da troca do nome da legenda e do cargo que ocupava. Último presidente do PCB e primeiro presidente do PPS, coube a Freire a missão de sepultar o velho Partidão (e com ele a versão brasileira do comunismo ortodoxo) para buscar uma vertente socialista que se ajustasse aos tempos modernos.

Confrontado com o colapso do império soviético, o deputado compreendeu que o mundo mudara, o modo de produção mudara e já não faziam sentido nem o manual do marxismo-leninismo nem os princípios clássicos do capitalismo. O discurso de Freire não tem parentesco com o reiterado durante a vida inteira por Luiz Carlos Prestes, secretário-geral do PCB por quase 50 anos. Mas ele mantém intocadas convicções que afastam os herdeiros do Partidão da esquerda do PT.

“Os comunistas nunca se envolveram em casos de corrupção”, exemplifica. Outra diferença está na concepção do estado. Os dirigentes do antigo PCB, segundo Freire, sempre acreditaram que o caminho do socialismo desembocaria na extinção do mamute estatal. Para o presidente do PPS, candidato a deputado federal por São Paulo, o Estado forte defendido pelo PT é essencialmente o mesmo com que sonharam os ideólogos do fascismo.

http://videos.abril.com.br/veja/id/3c7b5504acb5fea51aa7b75a1bff4db5?

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    abreu

    Gosto mto de participar do teu bloq,caro Augusto.Tms mtas coisas em comum, principalmente sobre esse desgoverno comunista,que quer prq quer,implantar o seu “ideal” comunista,mas não vai levar,e espero que os brasileiros,como eu,esclarecido e não abestalhados,como a maioria (refiro-me aos que votam nessa gang)e creem que o molusco é o “máximo”.Sim é máximo em safadeza,isso sim.E qto a entrevista do Roberto Freire,estou com leitor denominado HERCILIO, que postou em teu bloco s/essa pessoa,em 10/10/10 as 12h24.Comungo com esse leitor.Agora,me diga;o que foi que aconteceu para ele (Roberto Freire)se tornar “democrata”,podes me dizer.Mas acho que comunista segue sempre comunista,lá no fundo de seu ser.Abraços
    Acho que ele enxergou o tamanho do erro, caro Abreu. abração

    Curtir

  2. Comentado por:

    Glorinha de Nantes

    Que aula! A Política tem, em Roberto Frire, um autêntico oposicionista, entretanto, sem força e apoio de autênticos oposicinistas como ele. Nunca os veremos unidos? Por quê? O comunista, que corajosamente deplora e rejeita o esquerdismo anacrônico, é um político de vanguarda, sem medo de se afirmar fora do simplismo maniqueísta direita-esquerda. O referencial moderno exige evitar os sofismas, repetidos por dois séculos, no mínimo. Que aula! Roberto Freire para Presidente!!!
    No Roda Viva desta noite de 22/11/2010, estávamos ouvindo e vendo uma voz oposicionista autêntica, clamando no deserto. Jornalistas lullopetistas deverão estudar A História Política do Mundo, a fim de compreenderem, minimamente, o amplo quadro de referêcia que embasa a argumentação de Roberto Freire. Um bom alerta para as oposições : SER OPOSIÇÃO NÃO É ATIVIDADE PARA AMADORES! Quem disse que será açúcar no mel?! As armas destas batalhas não as temos, não as aceitamos. As usadas até aqui pelos governistas, com perícia até discutível, exigiriam o desassombro canalha e a desfaçatez cafajeste! Como superá-los ou como enfrentá-los no território que dominam? Preparemo-nos? Profissionalizemo-nos!

    Curtir

  3. Comentado por:

    Glorinha de Nantes

    Glorinha de Nantes – 23/11/2010 às 1:30
    Que aula! A Política tem, em Roberto Freire, um autêntico oposicionista, entretanto, sem força e apoio de autênticos oposicionistas como ele. Nunca os veremos unidos? Por quê? O comunista, que corajosamente deplora e rejeita o esquerdismo anacrônico, é um político de vanguarda, sem medo de se afirmar fora do simplismo maniqueísta direita-esquerda. O referencial moderno exige evitar os sofismas, repetidos por dois séculos, no mínimo. Que aula! Roberto Freire para Presidente!!!
    No Roda Viva desta noite de 22/11/2010, estávamos ouvindo e vendo uma voz oposicionista autêntica, clamando no deserto. Jornalistas lullopetistas deverão estudar A História Política do Mundo, a fim de compreenderem, minimamente, o amplo quadro de referêcia que embasa a argumentação de Roberto Freire. Um bom alerta para as oposições : SER OPOSIÇÃO NÃO É ATIVIDADE PARA AMADORES! Quem disse que será açúcar no mel?! As armas destas batalhas não as temos, não as aceitamos. As usadas até aqui pelos governistas, com perícia até discutível, exigiriam o mesmo desassombro canalha e a mesma desfaçatez cafajeste! Como superá-los ou como enfrentá-los no território que dominam?! Preparemo-nos! Profissionalizemo-nos!

    Curtir

  4. Comentado por:

    Osvaldo Ribas

    Comunista é sempre comunista. E deve ser combatido

    Curtir