Clique e assine com até 92% de desconto
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Revisitando 2017: O segundo quadrimestre do Ano do Espanto

O mês de maio começa com a libertação de José Dirceu e agosto termina com a homenagem a Lula pelos "dicentes" da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Por Augusto Nunes 30 dez 2017, 18h03

A continuação da Retrospectiva de 2017 reserva outros assombros. Confira:

Maio

02/05

A Segunda Turma do STF aceitou, por três votos a um, o pedido de habeas corpus de José Dirceu, condenado a 23 anos de prisão pela Lava Jato. O ex-ministro de Lula, condenado por ter chefiado a quadrilha do Mensalão e acusado de integrar o alto comando do esquema do Petrolão, foi autorizado por Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e Dias Toffoli a responder os processos em liberdade.

07/05

O centrista Emmanuel Macron é eleito presidente da França com 66% dos votos, vencendo a candidata da Direita, Marine Le Pen, no segundo turno.

11/05

Réu em cinco processos decorrentes da Lava Jato, Lula foi ouvido por Sérgio Moro sobre o caso do triplex no Guarujá. No depoimento, deu a entender que quem tomava decisões sobre o apartamento era Marisa Letícia.

 

Continua após a publicidade

No mesmo dia do depoimento de Lula em Curitiba, foi divulgado o conteúdo das delações premiadas de João Santana, ex-marqueteiro do PT, e sua mulher, Mônica Moura. A dupla detalhou como era feita a arrecadação irregular para as campanhas do partido. Santana afirmou que Lula dava a palavra final sobre os pagamentos de caixa 2 ao PT e que Dilma também tinha pleno conhecimento das irregularidades ocorridas nas eleições que disputou. A mulher do marqueteiro contou que dividia um e-mail secreto com Dilma Rousseff, em que a ex-presidente atendia pelo codinome Iolanda.

12/05

Ex-diretor da Petrobras, Renato Duque, revelou que Lula não só sabia do esquema corrupto na Petrobras como era o comandante das ações ilícitas. No dia seguinte ao depoimento do ex-presidente em Curitiba, durante o qual Lula garantiu que se encontrara com Duque uma única vez, o ex-diretor divulgou uma foto em que os dois aparecem lado a lado em 2012.

17/05

Colunista do Globo, Lauro Jardim publicou o conteúdo do acordo de delação premiada que Joesley Batista, dono do frigorífico JBS, fechou com o Ministério Público Federal. A bomba atingiu em cheio Michel Temer e Aécio Neves. Num encontro com o presidente no escurinho do Palácio Jaburu, Joesley gravou a conversa em que Temer, entre outros espantos, concordou com o pagamento de propina ao ex-deputado federal Eduardo Cunha e ao doleiro Lucio Funaro. O presidente também ouviu em silêncio o empresário contar-lhe que havia subornado promotores e juízes. Aécio foi grampeado pedindo R$ 2 milhões ao amigo Joesley.

 

Continua após a publicidade

Aécio Neves (PSDB-MG), senador afastado

Por determinação de Edson Fachin, Aécio Neves foi afastado do mandato de senador em consequência do pedido de propina de R$ 2 milhões que fez a Joesley Batista.

 

Continua após a publicidade

Andrea Neves

Andrea Neves, irmã do senador Aécio Neves, foi presa em Belo Horizonte por envolvimento no pedido de propina ao dono da JBS.

24/05

A Esplanada dos Ministérios foi alvo de atos de vandalismo durante a manifestação convocada por centrais sindicais contra as reformas propostas por Temer. O presidente mobilizou tropas das Forças Armadas para conter as depredações, conseguindo expulsar os baderneiros.

28/05

Michel Temer nomeou Torquato Jardim, autor de frequentes críticas à Lava Jato, para substituir Osmar Serraglio no Ministério da Justiça.

 

Continua após a publicidade

Junho

03/06

Filmado carregando a mala com R$ 500 mil que recebeu de um intermediário da JBS numa pizzaria, o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, intimamente ligado a Michel Temer, foi preso pela Polícia Federal.

06/06

Henrique Eduardo Alves, ex-presidente da Câmara dos Deputados e ex-ministro dos governos Dilma Rousseff e Michel Temer, foi preso em Natal (RN). É acusado de embolsar propinas vinculadas às obras da Arena de Dunas, construída para abrigar jogos da Copa do Mundo de 2014.

 

Continua após a publicidade

Nas eleições parlamentares convocadas por Theresa May, a primeira-ministra britânica sofreu uma derrota contundente e perdeu a maioria de assentos no Parlamento para os adversários do seu Partido Conservador.

09/06

Com o voto decisivo de Gilmar Mendes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, a chapa Dilma-Temer, acusada de abuso de poder político e econômico nas campanhas de 2014, foi absolvida por 4 a 3. A maioria dos ministros optou por desconsiderar as revelações de executivos da Odebrecht que escancaravam a culpa dos absolvidos.

13/06

Sérgio Cabral, ex-governador do Rio, foi condenado por Sérgio Moro a 14 anos de prisão. O comandante da Turma do Guardanapo é réu em outros 16 processos da Lava Jato.

26/06

Com base nas delações da JBS, Michel Temer foi denunciado por Rodrigo Janot por corrupção passiva. No dia seguinte, Temer acusou Janot de receber dinheiro para aceitar a meia delação premiadíssima dos irmãos Batista, que se livraram da cadeia sem detalhar as vantagens bilionárias com que foram favorecidos nos governos de Lula e Dilma Rousseff.

30/06

Ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff conversam durante cerimônia de abertura do congresso nacional do Partido dos Trabalhadores, em Brasília

Em depoimento a procuradores federais de Brasília, Joesley Batista detalhou pagamentos de propina e as relações suspeitíssimas mantidas com os ex-presidentes Lula e Dilma. Entre outras patifarias, a JBS abasteceu com R$ 300 milhões contas na Suíça que financiavam campanhas da dupla petista.

 

Continua após a publicidade

Aécio Neves (PSDB-MG), senador afastado, pode ser preso

O ministro Marco Aurélio Mello negou o pedido de prisão contra Aécio Neves feito pela Procuradoria-Geral da República e devolveu o mandato ao senador mineiro.

 

Continua após a publicidade

Rodrigo Rocha Loures após delações da JBS

Relator da Lava Jato no Supremo, Edson Fachin determinou que Rodrigo Rocha Loures cumprisse prisão domiciliar.

 

Continua após a publicidade

Julho

03/07

Geddel Vieira Lima, ex-ministro de Michel Temer preso

Geddel Vieira Lima, ex-ministro dos governos Lula e Michel Temer, foi preso pela Polícia Federal por tentar obstruir investigações e abortar os acordos de delação premiada ensaiados por Lúcio Funaro e Eduardo Cunha. A prisão se amparou nas revelações de diretores da JBS. No dia 12 de julho, o desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), de Brasília, converteu a pena em prisão domiciliar.

 

Continua após a publicidade

Aécio Neves retorna ao Senado

Depois de 46 dias de afastamento involuntário, Aécio Neves discursou no plenário do Senado. “Entre todos esse sentimentos, sem dúvida, o da indignação contra a injustiça e o da tristeza que acaba por atingir, de forma mais profunda, aqueles que mais amamos, foram os que mais de perto me acompanharam nesses dias tormentosos”, disse o tucano num discurso boicotado pela oposição e pouco aplaudido pelos aliados.

06/07

Aécio retorna ao Congresso Nacional

Por 11 votos a 4, o Conselho de Ética do Senado aprovou o arquivamento do pedido de cassação de Aécio Neves.

11/07

Plenário do Senado

Depois de uma tentativa frustrada de senadoras da oposição decididas a impedir a votação, a Reforma Trabalhista foi aprovada por 50 votos a 26.

12/07

Lula foi condenado a nove anos e meio de prisão pelo juiz Sergio Moro por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex no Guarujá. A sentença o transformou no primeiro presidente brasileiro punido por corrupção. O ex-presidente é réu em mais seis processos.

10/07

O deputado Sérgio Zveiter (PMDB-RJ), relator da denúncia contra Michel Temer na Comissão de Constituição e Justiça, recomendou o prosseguimento no STF do caso aberto pelo procurador-geral Rodrigo Janot.

13/07

Votação da denúncia contra Temer na CCJ da Câmara dos Deputados - 13/07/2017

Depois de trocar 13 parlamentares da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, Michel Temer conseguiu que a maioria da CCJ votasse contra o relator e rejeitasse o prosseguimento da denúncia contra o presidente. Com a derrota de Sergio Zveiter (PMDB-RJ), o deputado Paulo Abi-Ackl (PSDB-MG) assumiu a relatoria e apresentou um pedido de arquivamento da denúncia, aprovado por 40 a 25.

17/07

A juíza Sueli Armani concedeu o benefício do regime semiaberto a Anna Carolina Jatobá, acusada de matar a enteada Isabella Nardoni, então com 5 anos, com a ajuda do marido, Alexandre Nardoni, e atirá-la do sexto andar do prédio onde moravam.

19/07

Ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva

O juiz Sérgio Moro decretou o sequestro dos bens e o bloqueio de contas bancárias de Lula. Entre os alvos da medida estão três apartamentos em São Bernardo, um terreno na mesma cidade e dois automóveis. O magistrado também ordenou o bloqueio de R$ 606.727,12 depositados em quatro contas bancárias do ex-presidente. No dia seguinte, foram bloqueados mais R$ 9 milhões em dois planos de previdência privada: mais de R$ 7 milhões dormiam num plano empresarial da LILS (empresa de palestras do petista) e o restante num plano individual.

20/07

O governo anunciou o aumento de impostos sobre combustíveis, o PIS/Confins, com o objetivo de arrecadar mais de R$ 10 bilhões neste ano para cumprir a meta fiscal. A medida, na prática, provoca a elevação de R$ 0,38 sobre o litro da gasolina e de R$ 0,12 sobre o do etanol.

28/07

Exército patrulha praia de Copacabana

O presidente Michel Temer incumbiu o Exército de garantir a segurança pública do Rio de Janeiro até o fim deste ano. A pedido do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), as Forças Armadas mobilizaram 8.500 homens para a missão.

31/07

Às vésperas da votação da primeira denúncia contra o presidente Michel Temer na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, o deputado federal Wladimir Costa (SD-PA) apareceu com o nome de Michel Temer tatuado no ombro direito. Dias depois, soube-se que a homenagem era feita de henna.

 

Continua após a publicidade

Agosto

02/08

O presidente Michel Temer conseguiu barrar por 263 votos a 227 a primeira denúncia apresentada contra ele pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A salvação custou aos pagadores de impostos a liberação de milhões de reais em emendas parlamentares e a distribuição de dezenas de cargos públicos.

 

Continua após a publicidade

Ex-governador do Mato Grosso Silval Barbosa (PMDB) estava foragido desde terça-feira

Relator do processo que analisa a delação premiada de Silval Barbosa, ex-governador de Mato Grosso, o ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Fux classificou de “monstruoso” o conteúdo do material que tinha em mãos. O depoimento de Silval, preso em 2015, compromete não só o Legislativo, quanto o Executivo e, provavelmente, também para o Judiciário.

05/08

Depois de uma reunião entre os chanceleres do Mercosul em repúdio ao governo de Nicolás Maduro, a Venezuela foi suspensa do Bloco.

18/08

Nicolás Maduro

Apoiadores de Nicolás Maduro invadiram a Assembleia Nacional da Venezuela, controlada pela oposição. Durante a ocupação, que durou cerca de nove horas, deputados, seguranças e jornalistas ficaram feridos.

21/08

Diploma Lula

Alunos da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia concederam ao ex-presidente Lula um diploma com o título de Doutor Honoris Causa. A homenagem foi assinada pelos “dicentes” ─ com o S amputado sem anestesia — pelos discentes de Cruz das Almas.

28/08

Numa entrevista à rádio Currais Novos, Lula atribui a morte de Marisa Letícia “aos meninos da Lava Jato”.

Continua após a publicidade
Publicidade