Clique e assine a partir de 9,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Oliver: O embarcado

VLADY OLIVER Sabe uma coisa que eu não leio por aí? Vou insistir no assunto, pois isso é capaz de ser a pá de cal num projeto de poder que se esparrama indecorosamente pela coisa pública. Alguém consegue imaginar a rotina de trabalho de um embarcado? Eu explico: são os profissionais que efetivamente carregam uma […]

Por Augusto Nunes - Atualizado em 10 Feb 2017, 09h21 - Publicado em 2 Oct 2015, 00h15

VLADY OLIVER

Sabe uma coisa que eu não leio por aí? Vou insistir no assunto, pois isso é capaz de ser a pá de cal num projeto de poder que se esparrama indecorosamente pela coisa pública. Alguém consegue imaginar a rotina de trabalho de um embarcado? Eu explico: são os profissionais que efetivamente carregam uma Pétubrais nas costas.

É gente que rala. Gente que trabalha ao lado dos inflamáveis. Gente que estuda uma vida inteira para se candidatar a ficar quinze dias diante do nada, numa plataforma e submetida a uma rotina quase militar, absorvida por serviços insalubres e essencialmente perigosos. Essa gente foi a mais feita de besta pela cúpula formada por bandidos encastelados nos ares condicionados da estatal picareta.

Continua após a publicidade

Essa gente foi roubada na dignidade, na decência e na grana da empresa mesmo. Os exemplos desse aparelhamento se multiplicam por todo o elefante público. Mérito? Nenhum. Trabalhar direito? Nunca. Defender os interesses empresariais, nacionais, profissionais? Meu pirão primeiro. O elefante está parado por conta disso.

Vou insistir: há um caminhão de negociatas forjadas por esses calhordas que prejudicaram o país de forma quase incontornável. Depenaram as estatais, que já eram vagabundas por natureza. Sucatearam nossa economia, da forma mais calhorda possível. FOMOS ROUBADOS. Ninguém entende isso? É impressionante. Onde estão estes profissionais, que não denunciam o que sabem?

Só posso concluir que a turma no poder quer retalhar a quadrilha em fatias para negociar os dividendos. Este país definitivamente se merece. É um festival de propinas. É um desfile de vigaristas. Uma vergonha.

Publicidade