Clique e assine a partir de 9,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O ministro Toffoli ajudou a derrotar o relator Toffoli

Na hora de votar, o presidente do STF votou contra a proposta que havia apresentado

Por Augusto Nunes - 30 nov 2019, 15h03

Nesta quinta-feira, o Supremo Tribunal Federal aprovou o compartilhamento, sem autorização judicial, de dados sigilosos sobre movimentações financeiras suspeitas. Mais surpreendente que o placar elástico — 9×2 — foi o comportamento do presidente do tribunal.

Como relator, Dias Toffoli propôs a obrigatoriedade da autorização judicial. Ao votar, o ministro Dias Toffoli preferiu juntar-se aos oito que desaprovaram a ideia. Foi como se um jogador brasileiro, naquele 7×1 contra a Alemanha, se juntasse ao ataque adversário e para participar da vitória inimiga, marcasse o oitavo gol contra o time de Felipão.

Publicidade