Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Marcos Troyjo: A nova divisão internacional do trabalho

Produção desloca-se do taylorismo ao 'taylor-made'

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Francisco

    E assim esse papo furado de “capitalismo” x ‘comunismo” tambem vai por agua abaixo.
    Ridiculo ver esse pessoal “comunista” ainda querer voltar para o seculo 19.

    Curtir

  2. Comentado por:

    Franco

    Resta saber se o Brasil com a sua mente pequenina vai continuar vendendo soja pra comprar iPhone

    Curtir

  3. Comentado por:

    marilene

    A gramática ……..erro crasso.( ideal de exportar ” por que” cresciam…,.,.,.,..,) o certo é ” porque”.
    aliás, nos últimos tempos, nota-se um declínio considerável na qualidade gramatical dos textos. A frequência de atentados ao nosso idioma é de fazer inveja.
    Corrigido, Marilene. Obrigado.

    Curtir

  4. Comentado por:

    Darazoom

    E o mundo inteiro sente essas transformações. Nos anos em que J. K. governou o Brasil, lançou o slogan “Cinquenta anos em Cinco”, que, se não foi cumprido fielmente, nos levou a uma arrancada industrial relevante e consequente progresso.
    Mais recentemente, com a ascensão do P. T. e seus vagabundos ladrões, foi implantado o programa “Menos cinquenta anos em trinta”, mediante o qual, durante os últimos dois governos – lula e dilma – retrocedemos em pelo menos quarenta anos.
    Teremos possibilidade de recuperação? Nunca! Levando em conta o progresso do mundo e o “regresso” do Brasil, não devemos ter esperanças. E tudo graças aos bons serviços do P. T. e acólitos.

    Curtir

  5. Comentado por:

    Regis

    Excelente artigo. Uma análise do desenvolvimento das nações, baseada em dados de uma projeção econômica.

    Curtir

  6. Comentado por:

    alan xy

    Estamos. condenados ao atraso…….. também com nossa juventude lotando as igrejas ao invés de estar nos laboratórios fazendo ciência! É preciso pensar em algo que possar diminuir esse efeito nefasto da religião.

    Curtir

  7. Comentado por:

    Juca Leiteiro

    O modelo econômico de antecipar conforto, usando caderneta de padaria e o carnê de crediário para pagar em 60 meses só podia dar nisso.
    O atraso provocado na profissionalização da nossa mão de obra durante 13 anos de governo petista, com greves seguidas e prolongadas nos Estados governados pelos opositores, foi criminoso.
    Nossa força de trabalho, estacionada em níveis de 2005, agrega pouca competitividade às empresas e dificulta o crescimento industrial e a oferta de empregos no país.
    Na atual realidade econômica do mundo, não adianta o Temer manter as torneiras do BNDES jorrando dinheiro a fundo perdido, saquear as reservas do FGTS e pedalar orçamentos e finanças, como fazia a Gerentona.
    Agora é preciso dar uma trégua à iniciativa privada para ela se ajustar ao cenário econômico, com os sacrifícios e produtividade pertinentes, sem aumentar as tributações.

    Curtir

  8. Comentado por:

    pedrao

    O pouco saboroso e nojento “panga” é resultado da escalada chinesa para se aproveitar dos periféricos emergentes “tipos ideais”, onde utiliza de seus esgotos, como os do Vietnã e na foz de seus grandes rios, para reproduzir aquele pescado e impondo ,pelo baixo preço , uma nova sociedade de piscívoros !
    Peixes criados e alimentados com a merda da Asia, para o mundo!
    Os made-taylors 4.0 passarão , mas as necessidades básicas…continuarão as mesmas!

    Curtir