Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Por que a foto de um ovo virou a mais curtida da internet?

O viral do Instagram exibe como a rede virou um ambiente caótico de superficialidades – mas ainda assim capaz de eleger ovos e presidentes

O povo da internet pode fazer qualquer coisa. Por exemplo (e não espere que isso faça total sentido), fazer com que uma foto de um ovo – um ovo qualquer, nem é um Fabergé – se torne a mais curtida da história do Instagram. E nem tem uma celebridade segurando o ovo. Nem um bebê quebrando o ovo. Nem um gato derrubando o ovo de uma prateleira. Nada disso. É apenas um ovo acompanhado de uma meta ambiciosa: “Vamos superar um recorde mundial juntos e virar o post mais curtido no Instagram”.

No momento em que escrevo este post, o ovo já atraiu o clique de 30 milhões de pessoas. Não tão menor que a população da Argentina. Se todos fossem colocados numa cidade, já seria a segunda mais populosa do planeta. No quesito virtual, superou uma foto da celebridade Kylie Jenner com sua filha recém-nascida.

Não se sabe ao certo quem publicou a foto do ovo. Pode ter sido um golpe de marketing. Ou é fruto de um estudo acadêmico? Será que é sacada de algum desses influenciadores digitais? Neste momento, qualquer coisa é especulativa. O que importa é o significado da foto do ovo.

A internet surgiu, nos idos das décadas de 1980 e 1990, pelo desejo de democratizar a informação e unir as pessoas de diferentes culturas. A ideia era disseminar o conhecimento e, por isso, não por acaso o conceito de “www” foi criado pelo físico inglês Tim Berners-Lee, antes de tudo, na tentativa de facilitar a comunicação entre cientistas.

Só que aí veio o século XXI. O cenário virtual se tornou um caos. O mais inusitado é que, no início da internet, ela era representada por uma multiplicidade de blogs, sites etc., sendo que a navegação por ela era igualmente diversa. Nos anos de 2000 em diante, a anarquia imperou, só que toda ela organizada em poucos sites de buscas (e o Google impera) e só algumas redes sociais (reino de Facebook, Instagram, Twitter, YouTube, WhatsApp). Sendo assim, a web se tornou um pandemônio concentrado em uns pouquíssimos endereços – que, para boa parte da população online, representam tudo o que se sabe da internet no dia a dia.

Nesse contexto pipocaram os virais. De dancinhas, celebridades, bebês mordendo os dedinhos da mão ou gatos tocando piano. Inaugurou-se a era na qual não mais importa, à grandíssima maioria, aquele objetivo primário de democratizar a informação e o conhecimento. O que vale é ter mais seguidores e curtidas, a qualquer custo. Às favas com o valor da informação (daí que se dissemina o fenômeno das fake news, por exemplo), do conhecimento (se dizer que a Terra é plana dá mais likes, é o que muitos youtubers fazem) e da democracia.

É nesse cenário que a foto do ovo viraliza. Não se engane, não é qualquer coisa que pode viralizar. E não é fácil viralizar online. Tem de ser tão besta quanto a foto de um ovo querendo tirar o posto de uma celebridade no ranking dos retratos mais curtidos numa rede social do momento. A armadilha perfeita para atrair o típico ser humano do século XXI. O, repito, interessado tão-somente em likes e followers (mesmo se ambos forem ilusórios, feitos de e por bots, ou frutos daquelas táticas narcisistas de “troco likes / troco seguidores”).

A foto do ovo não é pouca coisa. Trata-se de uma tradução da internet como é hoje. Ou seja, resume o mundo no qual vivemos a maior parte de nossos dias (e isso vale para a maioria das pessoas). Também retrata a força babélica da internet, capaz de eleger e findar com virais, heróis e vilões de um minuto para o outro. É a era do caos frívolo – mas um “frívolo” capaz até de eleger presidentes e alimentar fortunas de youtubers – e virtual.

Acompanhe este blog no Twitter, no Facebook e no Instagram.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s