Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Você sofre de insônia? A culpa pode ser do seu parceiro

Tentar ajudar parceiros que sofrem de insônia, além de piorar os sintomas, contribui para que os problemas afetem ambos

Tendo problemas para dormir? O problema pode ser quem dorme ao lado. De acordo com pesquisadores australianos, a maioria das pessoas que divide a cama com parceiros que têm problemas para dormir, mesmo que na tentativa de ajudar, acaba incentivando comportamentos que podem piorar a insônia.

O estudo, publicado recentemente no periódico científico Sleep, revelou que 60% dos adultos dormem acompanhados e, apesar de a insônia ser vista como uma condição individual, 74% dos casais têm o horário de sono modificado pelo parceiro, o que pode contribuir para diversos problemas.

Descobertas

Para entender as possíveis intervenções dos parceiros na qualidade do sono de quem sofre de insônia, neurocientistas da Universidade Monash, na Austrália, aplicaram questionários a 31 pessoas, sendo 14 mulheres e 17 homens, cujos companheiros estavam à procura de tratamento contra insônia.

Os resultados mostraram que apesar desses participantes não terem problemas para dormir, muitos deles modificavam seus próprios horários, tanto de sono quanto de atividades de lazer e trabalho, em prol do bem-estar do outro.

Boas intenções

A maioria dos casais cujos parceiros buscavam ajudar a melhorar os problemas do sono do companheiro em questão relatou estar mais feliz e satisfeita com seus relacionamentos do que aqueles que não ofereciam ajuda. No entanto, esse comportamento tem seus sacrifícios: os parceiros que procuravam ajudar mostraram maior ansiedade do que os que não ajudavam.

Além disso, apesar das boas intenções, a ajuda oferecida nem sempre surtia efeito, pelo contrário. A maioria dos conselhos, que incluíam ir para a cama mais cedo do que o normal ou acordar mais tarde, ler ou assistir TV na cama antes de dormir, tirar cochilos, descansar durante o dia e tomar cafeína, sedativos, remédios ou bebidas alcoólicas para dormir melhor, contrariam as recomendações para uma boa higiene do sono e as práticas da terapia cognitivo-comportamental, um dos tratamentos psicológicos recomendados para pessoas com insônia crônica.

Higiene do sono

Durante as sessões do tratamento, as pessoas aprendem a não se deitar até sentir sono, a levantar sempre ao mesmo horário, utilizar a cama apenas para dormir e para relações sexuais e evitar tirar cochilos, especialmente em períodos próximos ao horário de sono habitual.

O álcool também deve ser evitado, já que seu consumo pode impedir o sono profundo e reparador.A prática de exercícios físicos durante o dia também é recomendada para ajudar a promover um bom sono durante à noite.

“Apesar das boas intenções, os parceiros podem estar contribuindo para perpetuar os sintomas da insônia”, explicaram os autores do estudo em resumo. Ao mesmo tempo, essas pessoas podem se sentir ansiosas em relação aos problemas dos companheiros.

De acordo com Alix Mellor, autor do estudo, mais estudos são necessários, até mesmo para desenvolver programas de tratamento que beneficiem os casais. Segundo o especialista, tratamentos em pacientes casados ou que moram junto de seus parceiros deveriam envolver ambos os indivíduos, visto que os problemas de sono podem afetar tanto um quanto outro, em diversos níveis.