Sérgio Rodrigues Sobre Palavras

Sobre Palavras

Este blog tira dúvidas dos leitores sobre o português falado no Brasil. Atualizado de segunda a sexta, foge do ranço professoral e persegue o equilíbrio entre o tradicional e o novo.

sobre

Mineiro radicado no Rio de Janeiro, é escritor e jornalista. Tem diversos livros publicados, entre eles “What língua is esta?”, sobre o português brasileiro contemporâneo, e “O drible”, romance vencedor do prêmio Portugal Telecom 2014. Assina também a coluna Todoprosa de VEJA.com.

Forró vem de ‘for all’? Conta outra!

Por: Sérgio Rodrigues

“Sempre ouvi dizer que a palavra forró vem de ‘for all’, que significa ‘para todos’, por causa das festas dos militares estadunidenses que trabalhavam na base de Natal. Existe até um filme com esse nome. Ontem uma amiga me corrigiu dizendo que isso é besteira. Afinal, é besteira ou não? De onde veio o forró?” (Iasmin Teixeira)

Tudo indica que a amiga de Iasmin está certa. A tese que deriva a brasileiríssima palavra forró do inglês for all é, segundo os etimologistas sérios, apenas uma dessas lendas engraçadinhas que vicejam no reino das palavras. Como um vocábulo que já estava dicionarizado por Cândido de Figueiredo em 1913 poderia ter sido criado na Segunda Guerra?

O mais provável é que forró, “baile popular em que casais dançam ao som de ritmos nordestinos”, seja simplesmente a forma reduzida de forrobodó, termo existente no português desde o século 19 e de significado igualmente festivo, embora não restrito ao Nordeste do Brasil. Registrada em dicionário pela primeira vez em 1899, a palavra dá nome a uma opereta de Chiquinha Gonzaga que estreou em 1911 no Rio de Janeiro.

A origem do vocábulo forrobodó está cercada de alguma controvérsia. Há quem sustente, com pouca credibilidade, que nasceu no banto, grupo linguístico africano. Não falta sequer uma lenda – esta hilariante – que aprofunda a maluquice da origem anglófona de forró e vê em forrobodó uma transliteração de for all but dogs, ou seja, “para todos, menos cachorros”.

A tese que parece mais sólida pode ser encontrada no Houaiss, que cita o gramático Evanildo Bechara para afirmar que forrobodó saiu do galego forbodó, “baile popular”, por sua vez derivado do francês faux-bourdon, que tem o sentido de “desentoação”. Mas por que desentoação? É que, segundo o escritor galego Fermín Bouza-Brey, o forbodó era movido “a golpes de bumbo em pontos monorrítmicos monótonos”, o que não impedia ninguém de dançar “com absoluta seriedade”.

*

Envie sua dúvida sobre palavra, expressão, dito popular, gramática etc. Toda quinta-feira o colunista responde ao leitor na seção Consultório. E-mail: sobrepalavras@todoprosa.com.br
Voltar para a home
TAGs:

  1. Luã Oliveira

    Isso que é trabalho de pesquisa heim! Parabéns!!!

  2. Arthur

    Agora sim uma explicação lógica!

  3. franklin

    pode ser. mas que rolou lá em Natal, várias adptações do ingles para o portugues brasileiro rolou! for all= forró ; Green go (semáforo do trem que acendia quando os americanos estavam chegando na base)= gringo !
    ON OFF = ONOFRE (nome proprio); boy = qualquer menino ou menina da periferia de Natal. e várias outras que nem me lembro rsrsrs

  4. Nei Cruz

    forró = for all
    forrobodó = for all body

  5. Nelo de Carvalho

    Legal essa seção do português.

  6. Eddie

    Então aquela história de que PAGODE é uma vertente de música gospel que veio de “para god” tá errada também?

  7. michela rejane

    Bom, seja for all ou faux-boudon, parece que a brasileiríssima forró veio mesmo de uma palavra gringa, mal entendida…dá tudo na mesma.

  8. Hélio oiticicaz

    nao concordo com esses etimologistas sérios. Os eua bem que poderiam ter assumido o controle destepaiz na época da guerra.

  9. Tião Carrero

    Tem registros da época da guerra, parem de inventar, vem de for all sim.

  10. mabm

    Para , “gringo” é amplamente falada na américa hispânica desde antes da segunda guerra, não viaja!

  11. Bob Laranja

    É verdade, afirmar que forró deriva de “free for all”, isto é folclore.
    Espera um pouco ai… de onde vem a palavra folclore mesmo?

  12. paulo

    se bem que é meio esquisito americano dançando forró, mas, como dizia o Raul.. todo explica tudo…

  13. valter gomes

    Falando serio,… coisa rara nesta País , creio sinceramente que a origem da palavra é portuguesa , e não esta loucura de alguns escritores e críticos desprovidos de formação em cultura brasileira, pois não se deram ao trabalho de pesquisar, o forró é anterior a segunda guerra mundial, antes de 1945, já existia ….é cultura, nasceu com o povo, em nenhum momento foi idealizado por bailes americanos, como alguns querem afirmar….for all…que besteira , vamos estudar senhores escritores e críticos nascidos na Web……

  14. Raul

    Está todo mundo kicking, bye !!!!
    by the way e o siguinificado de Cubatão, vira de Braz Cuba´s town?

  15. tonhão

    Eu ainda prefiro forró ‘For All’ ( ocasião em que os Americanos abriam as portas para que o povo local participasse das festanças). Quanto a palavra Gringo, vem da guerra Hispano-Americana. A túnica da casaca (coat)) do soldado americano era verde (green) e os mexicanos se referiam aos inimigos como ‘los greencoats’. A corrupção fez o resto e de greencoats, ficou grinco, depois gringo. Agora, alguém me dê uma explicação melhor para a palavra ‘chulipa’ que quer dizer dormente dos trilhos dos trens em Portugal. Pelo que me consta, vem da palavra inglesa ‘sleeper’ ; a madeira assentada sob os trilhos da ferrovia. Os construtores das ferrovias eram Ingleses, contudo, grande número dos trabalhadores na construção eram portugueses. A corrupção fez o resto e de sleeper virou ‘eslipa, chulipa’.

  16. José Miky

    Era tão mais simples dizer q vinha do “For all”, mas gostei da explicação!

  17. MARCELO SÁ

    FORRÓ
    A origem da palavra “forró” surgiu como corruptela da expressão inglesa “for-all” (para todos). Segundo o professor e folclorista pernambucano, Valdemar de Oliveira, nas décadas de 1920/30, os ingleses dirigentes da Pernambuco Tramways Power Company Limited, juntamente com seus patrícios da Great Western Railway Company, realizavam grandes festas, para as quais eram convidadas figuras importantes da sociedade. Porém, em determinados eventos, os convites eram mais amplos e extensivos aos funcionários das duas empresas. Nessas ocasiões, traziam, no rodapé, a expressão “for all” – promovendo a alegria geral. Sendo uma festa para todos, o forró popularizou-se, numa mistura de baião, samba, xaxado – dentre outras manifestações. Uma das tradições folclóricas mais apreciadas no Nordeste, e até no País, é dançado em diversos períodos e festividades, sobretudo durante o ciclo junino, sendo acompanhado por conjunto regional formado de sanfona, triângulo e bombo. Também merece registro o forró estilizado, tocado por instrumental moderno (órgão, guitarra, contrabaixo, bateria, etc). A sanfona de oito baixos junto com o triângulo e a zabumba são os principais instrumentos do forró. A dança exige um par e já possui muitas variações desde o mais simples do passo, o dois prum lado, dois pro outro..
    É mesmo, Marcelo? E como você explica a presença da palavra num dicionário de 1913?

  18. rafael henrique

    o meu ex-professor de história disse que a origem da palavra forró era justamente desses americanos que estavam morando em Natal.E como o pessoal da época realizava festas em que se ”dançavam com os corpos colados”,havia placas escritas ”for all” cujo os americanos também participavam das danças da região;Por isso virou for+all=forró

  19. tonhão

    Embora a palavra “Forró”, apareça em dicionário antigos, ela ganhou popularidade, se espalhou e ganhou o significado e conotação como todos a conhecemos nos dias atuais com os Americanos nas bases de Natal e de Fortaleza. A palavra se encaixou como uma luva para ambos os lados. ‘For all’ para os ouvidos alencarianos e potiguares e ‘Forró’ para os da terra do Tio Sam tinham o mesmo significado como : bate-coxa, rala-buxo e outros termos nordestinos). Não há besteira alguma nas explicações das várias pessoas no bloque. A Iasmim e a amiga intelectualizaram a coisa em demasia.

  20. Nelson Goro

    Como uma grande parcela da população, também ouvi falar do “forró” como derivado daquela expressão inglesa. Da mesma forma que o peixe BIGUANO (da bacia do Paraná) também : – Today, i fished a BIG ONE . Que, na fala dos matutos acabou se aportuguesando. Teriam alguma outra explicação ?

  21. Antonio Jota

    A explicação parece boa. Gostei mesmo. Agora, meu amigo,
    me diga: qual é a explicação para a palavra ‘baitola’?

  22. Osvaldo

    Parabens, não sei se o mais legal da notícia foram os fatos narrados ou os comentários… Muito divertido!!!!

  23. alex

    é sim, vem do inglês. Assim como açougue, almofada, açafrão, oxalá, algarismo que vem do arabe, sutiã, equipe, abajour vem do francês, sanduiche, lanche, delet virou verbo em portugues(deletar), finta vem do italiano, e tantas outras. Isso acontece em todas as linguas. For all vem do inglês sim, é fato histórico.

    Alex, os fatos históricos não concordam com você. Você leu o texto?

  24. alex

    não confundam forro com forró e nem camelo com camelô. Nós brasileiros escrevemos muito errado, nós esquecemos de acentos.

  25. […] Não confirmo não, Rômulo. A relação entre nosso substantivo cachê e o adjetivo francês caché (particípio de cacher, “ocultar”) é apenas imaginária. No entanto, como soa verossímil (e na verdade é de compreensão muito mais imediata do que a explicação verdadeira), esse cachê-caché vem se transformando numa daquelas lendas etimológicas resistentes, como a que enxerga na origem do vocábulo forró o fantasma da expressão inglesa for all (leia sobre esse mal-entendido clássico aqui). […]

  26. […] linguísticos que volta e meia aparecem por aí, como aquele que diz que a palavra “forró” viria do inglês “for all”, por […]

  27. Thiago Lopes

    A palavra “oxente”, muito comum em Natal, e no Nordeste, é originária de onde?

    Resposta
    1. sergiorodrigues

      Oxente vem de “ó gente” ou “ó gentes”.

  28. Ed Nezer

    Continua-se querendo forçar a barra para que tenha a origem em “for all” mesmo depois de toda essa explanação. É querer muito pagar pau pra americano, quase de forma doentia. vamos perguntar então para o Lula, que é nordestino e é “jênio” da raça. O que ele decidir está decidido, pelo menos para os seus pares.

  29. Gomes Silva

    Apesar de não curtir, forró é que o Luiz Gonzaga tocava, o que Alcymar Monteiro, Flávio José tocam não o que essas “bandas” Aviões, Garota Safada e esses outros lixos “tocam”. De 100 músicas 95 só fala em putaria e outro monte de blá blá blá. Quem curte esse tipo de “banda” não tem cultura, é ignorante.

  30. Zé Portuga

    Meus caros…. “farrobodó”… que eventualmente terá derivado para “forrobodó”… é uma expressão portuguesa, com origem popular. Suecede que na primeira metade do Sec. XIX, o 1.º Conde de Farrobo, no seu Palácio das Laranjeiras, em Lisboa, organizava festas sumptuosas, com teatro, ópera e outros prazeres. O povo então falava.. foi um “farrobadó” (de Farrobo), isto é, uma grande festa, uma folia, uma animação… é uma expressão ainda de uso corrente. Cumprimentos.
    Que história mais bonitinha. Pena que, sem o aval de um filólogo sério, tenha o maior jeito de lenda lusa. Fonte?

  31. Flavia

    É engraçado que até nessas explicações/especulações o fanatismo ideológico sempre aparece. Quero crer que ninguém possa afirmar com segurança qual das duas explicações é mais verdadeira.

    O fato de forró constar no dicionário antes do período em que os ingleses realizavam as famosas festas “for all” também não desmente essa teoria, porque se está falando da popularização do termo forró, que pode ter se dado a partir da expressão em inglês inscrita nas portas das festas, sei lá. Mas a impressão que fica é que, além dos nordestinos quererem dar uma origem, digamos, “nobre” à expressão, existe também um grupo que faz questão de humilhá-los e fazer afirmações categóricas mesmo quando não podem, efetivamente, fazê-las, uma vez que se trata de uma informação pouco segura.

  32. clayton

    já ouvi dizer que forró vem da pronuncia do fraces auguste de saint-hilaire para classificar os negros, indios e caboclos alforriados que eram chamados de forros. suas festas eram chamadas de a festas dos forros. da mesma maneira que o brasil é o país da terra roxa: roja(vermelha em italiano, assim os alforriados em os forrós( fôrros em francês). tudo é uma questão de acentuação silábica estrangeira adotada pelos brasileiros analfabetos no século 18.

  33. Túlio

    Gostei!

  34. Francisco Magalhães

    Professor,tenho muito apreço pelo senhor,todavia quero registrar me indignação quanto ao comentarista Ed Nezer,preconceituoso sobre o Nordeste. Afirmar que Lula é “jénio”da raça, no mínimo, ele deve querer apanhar na cara. Sou nordestino e não aceito tal insulto. Outrossim, fica a desejar o alerta do Deixe o seu Comentário. Ademais, quanto o termo “far hall” usado pelos militares norte-americanos é verdadeiro, pois se divertiam no hotel Estoril em Fortaleza. A classe média alta empurrava suas filhas para lá, buscando um casamento valioso. Diante disto, os rapazes travestido em bailarinas satirizavam a sociedade com o Cordão das Cocas-cola. Natal não era mais devenvolvida que Fortaleza, não. Obrigado.

  35. 800 anos

    Forrobodó é uma expressão popular para uma festa descontrolada, onde os comportamentos sociais aceitáveis são ultrapassados.
    A origem da expressão, vem das festas dadas pelo Conde Farrobo. Joaquim Pedro Quintela, Barão de Quintela e Conde de Farrobo (1801–1869), magnata e promotor das artes. Geriu o Teatro São Carlos e foi uma das pessoas com maior impacto nas actividades culturais da cidade de Lisboa. Nas suas propriedades, realizou festas sumptuosas e exuberantes. Música, encenações, exibições de animais selvagens e provavelmente outras excentricidades, que, deram uma fama tal, tendo as mesmas passado a simbolizar o expoente máximo de diversão social, dando origem à expressão o “forrobodó”. Foi a época do forrobodó. O Conde morreu na miséria. No Brasil, o termo forró, decerto que é uma abreviatura do conceito destas festas muito expansivas ou descontroladas em termos de decoro social e religioso.
    Sobre a língua portuguesa e na sua pesquisa, convém não esquecer:
    Tem oficialmente 800 ano e sua origem é o território norte ocidental
    da Península Ibérica (Norte de Portugal – Condado Portucalense e Galiza).
    Como instrumento vivo a língua portuguesa sofre as naturais mutações,
    das sociedades que com ela se expressam, mas isso não justifica o seu estudo de uma forma tão reduzida.
    Alerto para uma característica muito comum de todas as sociedades
    com passado colonial, que procuram muito naturalmente, sustentar a sua
    identidade cultural em predicados recentes, esquecendo factores mais complexos e globais. Até é interessante a pesquisa apresentada, mas este trabalho deve ser feito com seriedade aprofundada, pois está em causa um legado imaterial sobre a identidade de vários povos.
    Fascinante, mas qual é sua fonte? E como, morfologicamente, o tal Farrobo gerou “forrobodó”? Que terminação é essa? Pesquisa reduzida e carente de “seriedade aprofundada”, me desculpe, é a sua: não conheço filólogos de verdade que deem crédito à tese do conde. A etimologia de “forrobodó” (origem bastante óbvia do brasileirismo “forró”) permanece obscura, mas a hipótese da origem no francês ‘faux-bourdon’, inicialmente uma técnica de harmonização surgida na alta Idade Média, me parece, até prova em contrário, a mais consistente. Quanto à sua “lição” sobre a idade da língua portuguesa, francamente, que coisa descabida… Estou tentando não tomá-la como um desses insultos linguísticos gratuitos que de vez em quando, lamentavelmente, chegam de seu belo país. Saudações.

Comentários fechados.