Blogs e Colunistas

19/08/2010

às 11:44 \ Consultório

‘Making of’ ou ‘making off’?


“Qual é o certo: ‘making off’ ou ‘making of’? Costumo usar o primeiro, mas já vi dos dois jeitos.” (Anelise de Souza)

A dúvida, como se vê, não é de português, mas de inglês. Isso não a torna menos relevante para o público brasileiro: making of (nada de efe dobrado, já veremos por quê) consagrou-se entre nós com um sentido que, antes de sua importação, costumava ser atendido pela expressão “cenas de bastidores” ou coisa parecida.

Trata-se do registro do processo de produção de um objeto cultural qualquer, filme, disco, show, ensaio fotográfico (como o de Gisele Bundchen na foto acima) etc. Metalinguístico, o making of é geralmente um filminho promocional que se debruça sobre a ação de preparar a atração principal, tirando o espectador do auditório e levando-o para dentro da oficina dos artistas. A era do DVD ajudou a consagrá-lo.

Faz muitos anos que making of é figurinha fácil no vocabulário da imprensa cultural brasileira. Pode-se discutir – e discute-se mesmo – a implicação de nosso apetite anglófilo. Há quem julgue a importação de making of servil e desnecessária, pois poderíamos dizer a mesma coisa de outra forma. Para estes, optar por making of é algo tão idiota quanto chamar adolescente de teen. Outra corrente argumenta que o caso aqui é diferente, pois making of tem um sentido preciso – de produto acabado que inclui “cenas de bastidores”, mas não se esgota nelas – e contra a precisão é quixotesco lutar.

Os dois lados têm sua dose de razão. Seja como for, uma coisa é indiscutível: a degeneração ortográfica making off, que parece ser de uso ainda mais frequente do que a forma correta em nossa imprensa cultural, revela, esta sim, um traço constrangedor da macaqueação linguística – a ignorância alvar, a falta de juízo crítico. Se vamos ser anglófilos, que tal aprender um pouco de inglês, em vez de achar que dobrar consoantes é sempre mais chique?

Processo de produção (making) de (of) um objeto cultural, é só disso que se trata. Making off – substantivação de to make off, “fugir, dar no pé” – seria no máximo algo como fuga. Fuja dele.

*

Envie sua dúvida sobre palavra, expressão, dito popular, gramática etc. Toda quinta-feira o colunista responde ao leitor na seção Consultório. E-mail: sobrepalavras@todoprosa.com.br

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

18 Comentários

  1. pumapreto

    -

    20/05/2014 às 11:56

    obrigado à todos, para Que usas crase no “a”?? acho q devias aprender português antesbdo ingles!
    Não há crase em “obrigado a todos”, o Sergio que escreveu a mensagem abaixo é um xará do autor da coluna.

  2. Sergio

    -

    20/04/2014 às 22:10

    Valeu, obrigado à todos que comentaram também, aprendi um pouco sobre isso!

  3. Sabrina Mix

    -

    15/07/2013 às 20:43

    Adorei a postagem. Estava em dúvida e ainda bem que encontrei este post. A ideia de processo de produção (making) de (of) um objeto cultural nunca tinha me passado pela cabeça antes. Aprendi uma vez, pra nunca mais esquecer. Obrigada por ter compartilhado. Sucesso!!!

  4. Justus

    -

    10/07/2013 às 14:24

    “O making of DO filme”não seria redundante, bastando apenas dizer o “o making do filme”?

  5. Carmen

    -

    04/07/2013 às 15:50

    Vale chamar a atenção também para a diferença na pronúncia: em “of” o som de “f”= /v/; em “off” o som de “ff”= /f/

  6. Jaime Menezes

    -

    08/06/2013 às 23:21

    Embora à primeira vista ambas as expressões pudessem estar correctas, dependendo do sentido, Sérgio deu a lição, magistralmente!
    Clóvis Filho, “babaca” não é português, é gíria… Sérgio… Que tal falarmos bom e riquíssimo português e dizermos “tolos”?

  7. Jussara

    -

    22/05/2013 às 14:52

    Pessoal a explanação do Sérgio está corretíssima. Na língua existe o que chamamos de “Phasal verbs” que combina verbo + adverbio ou verbo + preposição. No caso citado trocar OF por OFF, muda completamente o sentido da frase. Existem infinitos exemplos: Off course significa “fora de rota” enquanto que Of course significa “óbvio, claro”. Call off significa “cancelar uma ligação” enquanto que Call of.. your ..significa “chamar de seu”. o problema das pessoas é tentar traduzir para o português…..o que transforma em absurdos a língua inglesa.

  8. Carlos

    -

    01/05/2013 às 3:25

    Perfeito, Sérgio. Não precisa ser fluente em inglês: você tem, por exemplo, um filme (“movie”) e você tem, digamos, um pequeno documentário sobre como o filme foi feito (“making of the movie”). Em inglês, basta dizer “making of”, assim como outras expressões que terminam em preposições, tipo “coming from”, “going to”, “looking at”, “talking about”, “waiting for”…

  9. Raphael Magno

    -

    30/04/2013 às 18:16

    Aproveitando o assunto, queria questionar por que o noticiário de tecnologia usa a palavra ‘pixels’ como plural de ‘pixel’. O ideal não seria ‘píxeis’ (e mesmo ‘píxel’ no singular), já que essa palavra se incorporou a nosso vocábulo?

    Da mesma forma que dizemos “eu deletei” no lugar de “eu deleted”, creio que deveríamos escrever diferente nesse caso.

    obs: O termo ‘pixels’ foi usado em uma reportagem da veja.com hoje, sobre o lançamento do Galaxy S4.

  10. Raphael

    -

    28/04/2013 às 13:58

    Conheço uma serie de tv chamada Better off Ted (muito boa). E nela foi a primeira vez que vi OFF ser utizado, quando OF parecia ser obviamente o correto, e isso me deixou bem confuso. Me fez querer buscar a fundo se a forma correta seria making OF ou OFF. A utilização do OFF nesse caso (better off), é a composiçao de uma forma de expressão americana, que para nós não faz sentido ao traduzirmos, mas é o correto e que pode ser a mesma situação para making off. Mesmo com esse artigo, ainda não fiquei convencido que making off seja uma forma incorreta, parecendo até ser a forma correta.
    Raphael, uma coisa não tem nada a ver com a outra. ‘Off’ é um advérbio usado em diversas expressões, das quais ‘better off’ é um exemplo, mas não neste caso. Não existe dúvida sobre ‘making of’ ser a expressão correta.

  11. luiz

    -

    18/04/2013 às 18:02

    Deixemos que o vernáculo popular dite as regras.
    escrevemos MUITO, dizemos MUINTO.
    Exemplo, coisa é uma coisa.
    Para Lula uma coisa é um objeto que na hora de dizer
    não o que é a coisa em questão. este é linguajar Lulês.
    O dilmês já mais complicado é falar coisa nenhuma com nenhma coisa.
    Sacaram. Leiam seus pronunciamentos servirão como aula.
    Inté a prossima.

  12. RicBraga

    -

    28/03/2013 às 19:09

    Gente
    Tinha a mesma visão do Caio. As duas formas fazem sentido. Mas o que doi nos ouvidos é usar acessar em lugar de alcançar

  13. Robert

    -

    25/03/2013 às 7:25

    O que dizer então do uso generalizado no Brasil do plural inexistente “softwares”? Ou grafar Internet com “i” em minúsculas?

  14. Fuji Ronack Homby

    -

    27/09/2012 às 7:18

    Hummm….well……..Nada ocorreu-me que pudesse deleitar tão nobre assembléia.

    Sorry….

  15. caio

    -

    15/02/2012 às 11:37

    Sinceramente tenho outra visão deste assunto. Achei realmente que era Making off, não por ser mais chique, mas sim porque entendo e falo inglês fluente. O “off” dentre os seus vários sentidos, pode ser interpretado como desligado, fora, e até como palavrão “fuck off”.
    Em minha humilde opinião achei que o making off era algo que, pela lógica, seria remetido às cenas que são feitas fora do “ar” ou fora do roteiro….enfim….isso nao importa mesmo.
    Compreendo, Caio. Todo mundo está sujeito a equívocos desse tipo.

  16. Clovis Filho

    -

    26/08/2010 às 21:55

    O problema e’ que somos terceiro-mundistas de dar do’. Ha diferencas entre Portugues e Ingles, meu caro Watson. Por exemplo: Mulher que tira foto nua e’ prostituta. Mulher que faz um “making of” e’ modelo. Apartamento com churrasqueira e’ coisa de favelado. Apartamento com “grill” e’ pra gente fina. Casa com “living” so tem no Recreio dos Bandeirantes. Casa com sala de estar, na Rocinha.Loja no Shopping da Barra pode vender mais barato se for “on sale”. Pra galera, o barato ta’ em promocao (e com desconto). Acontece que, depois de tudo isso, quem, no Brasil, apela pro Ingles, achando que e’ “in”, deveria ser chamado de babaca, em Portugues bom e claro.

  17. Malba

    -

    19/08/2010 às 14:49

    Para adicionar à confusão, cuidado para não usar “making out”. Aí, sim, a coisa estaria perdida!

  18. Fábio

    -

    19/08/2010 às 14:28

    Muito bem explicado, eu tinha certeza que era apenas com um ”f” , mas não sabia explicar porque.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados