Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Vacina da Novavax tem resultados positivos em dois estudos

Pesquisa apontou aumento na produção de anticorpos em humanos sem efeitos colaterais graves e que macacos não se infectaram ao serem exposto ao vírus

Por Da Redação 4 ago 2020, 21h15

Nesta terça-feira, 4 de agosto, uma explosão na área portuária de Beirute deixou dezenas de mortos e milhares de feridos, segundo autoridades do Líbano. As imagens, que viralizaram na internet, mostram uma primeira explosão pequena seguida por uma bem mais forte. De acordo com o diretor de Segurança Geral do Líbano, Abbas Ibrahim, na região em que aconteceu a explosão havia alguns armazéns de materiais explosivos confiscados. Ainda não se sabe a causa da tragédia.

Após a explosão, o preço do petróleo disparou por medo de novos conflitos no Oriente Médio, mas, posteriormente, a alta foi atenuada. Integrantes do governo israelense se prontificaram a afirmar que o país não teve nenhuma relação com o incidente, que aconteceu um dia após o primeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, advertir o Hezbollah, grupo terrorista presente no Líbano, sobre possíveis respostas a ataques do grupo ao seu país.

Ainda em Israel, o chefe da equipe de combate à pandemia, Eli Waxman, disse que reabrir as escolas foi um grande engano. O país, que foi o primeiro a tomar a decisão de voltar às aulas, viu seu número de infectados com o coronavírus, antes sob controle, saltar após a decisão. A declaração vem na semana em que o estado de São Paulo estuda se reabrirá suas escolas já em setembro.

A companhia americana Novavax anunciou que dois estudos com sua vacina para o coronavírus mostraram resultados encorajadores. O primeiro, feito em humanos, mostrou que 56 voluntários que receberam duas doses da vacina produziram um alto nível de anticorpos contra a doença e não tiveram efeitos colaterais graves. Já no segundo, macacos que receberam o imunizante não se infectaram quando expostos ao vírus.

Um estudo feito pela universidade King’s College, de Londres, apontou que mulheres que tomam pílulas anticoncepcionais estão demonstrando estar menos suscetíveis aos sintomas mais graves do coronavírus. O estrogênio, hormônio feminino utilizado nesses remédios, seria responsável pela proteção à doença, o que explicaria também a maior suscetibilidade dos homens a ela.

De acordo com o Ministério da Saúde, foram 51.603 novos casos confirmados no Brasil, e 1.154 mortes causadas pela doença nas últimas 24 horas. No total, são 2.801.921 infectados, 95.819 óbitos e 1.970.767 recuperados. Leia mais sobre a pandemia de coronavírus: http://abr.ai/coronavirus-ultimas

Continua após a publicidade
Publicidade