Clique e assine a partir de 9,90/mês

Prefeitura de São Paulo anuncia adiamento do Carnaval em 2021

Organização da Fórmula 1 também confirmou que a competição não passará pelo Brasil em 2020 pela primeira vez em quase 50 anos

Por Da Redação - 24 jul 2020, 20h59

Nesta sexta-feira, dia 24 de julho, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, afirmou em coletiva que o Carnaval de 2021 será adiado por conta da pandemia do novo coronavírus. A nova data ainda está sendo discutida pela prefeitura, blocos e escolas de samba, mas o provável é que seja apenas em maio do ano que vem. Já eventos como a Marcha para Jesus e a Parada Gay de 2020 foram cancelados pelos próprios organizadores.

Além disso, a organização da Fórmula 1 afirmou que a competição não passará pelo Brasil em 2020. Pela primeira vez em quase 50 anos, o GP de Interlagos foi cancelado. Além do Brasil, Estados Unidos, Canadá e México também não receberão as corridas da categoria. De acordo com a diretoria do evento, a decisão foi tomada por conta dos números de infectados com o coronavírus dessas regiões ainda estarem altos.

O mundo do cinema também vem sendo afetado pela pandemia. Nesta sexta, a Disney afirmou que a estréia do filme Mulan será mais uma vez adiada. Previsto para ser lançado em março, o filme já havia sido adiado para julho e, agora sua estréia está suspensa por tempo indeterminado. O lançamento Tenet, filme do aclamado diretor Christopher Nolan, também foi suspenso.

Enquanto não há uma volta à normalidade, as pessoas tentam se adaptar a uma vida com a doença. Cidades turísticas vêm tentando estabelecer meios de reabrirem suas portas mesmo com o coronavírus ainda circulando. As Ilhas Canárias, por exemplo, lançaram um projeto piloto para acumular informações médicas dos turistas. Em Portugal, o governo criou um selo para que estabelecimentos mostrem que são adeptos dos novos protocolos de higienização.

A entrada em vários países, porém, continua a ser dificultadas por causa do vírus. Hoje, por exemplo, o primeiro-ministro francês, Jean Castex, anunciou que franceses e pessoas com residência no país voltando de viagem ao Brasil e a outros 15 países deverão ser testados para a Covid-19. O turismo de brasileiros aos países da União Europeia continua proibido.

O país ainda está na lista dos “proibidos” por conta das suas altas taxas. Nesta sexta, o Brasil teve 55.891 novos casos confirmados do coronavírus e 1.156 mortes causadas pela doença. Ao total, o país acumula agora 2.343.366 infectados, 85.238 óbitos e 1.592.281 recuperados.

Continua após a publicidade
Publicidade