Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Giro Veja: Maioria do STF vota contra prisão em segunda instância

O resumo das principais notícias desta quinta-feira, 7

Por Da Redação - 7 nov 2019, 21h33

Por 6 votos a 5, os ministros do Supremo Tribunal Federal decidiram nesta quinta-feira, 7, mudar o entendimento da prisão em segunda instância. Antes da sessão começar, estava 4 a 3, a favor da prisão. O primeiro voto, nesta quinta-feira, foi da ministra Cármen Lúcia, que votou a favor do cumprimento da pena.
Os ministros Gilmar Mendes e Celso de Mello foram contrários. O voto de desempate, como previsto, foi do ministro e presidente da Corte Dias Toffoli, que também votou contra.

Agora, o entendimento muda para que a prisão aconteça apenas após o trânsito em julgado, ou seja, quando não houver mais recursos. Segundo o Conselho Nacional de Justiça, 4.895 presos ganham liberdade até os casos passarem pelas instâncias restantes do Judiciário. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-ministro José Dirceu devem ser beneficiados.

 

Publicidade