Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Brasil passa de 700 mil casos de coronavírus no total

País tem hoje 37.134 mortes e 707.412 pessoas já diagnosticadas, de acordo com o Ministério da Saúde

Por Da Redação Atualizado em 8 jun 2020, 23h06 - Publicado em 8 jun 2020, 23h03

De acordo com levantamento diário publicado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), o Brasil ultrapassou nesta segunda, 8, a marca de 700.000 casos de Covid-19, com 707.412 diagnósticos totais e 37.134 mortes em todo o período. O dado foi publicado pouco depois das 18h e confirmado pelo Ministério da Saúde logo depois. Os números não levaram em conta os dados de Alagoas e Santa Catarina, que não encaminharam informações a tempo. Nas últimas 24 horas foram registrados pelas Secretarias Estaduais de Saúde, 15.654 novos casos e 679 novos óbitos. Ainda não há informações sobre pacientes recuperados. O Conass lançou a plataforma neste domingo, 7 após uma série de problemas na divulgação de dados por parte do Ministério da Saúde. Desde quarta, 3, a pasta dificultou a atualização de informações com sucessivos atrasos (inicialmente, os números eram publicados todos os dias às 19h, mas passaram à sair às 22h) e suspensão do painel oficial sobre o avanço da doença (https://covid.saude.gov.br/).

O site ficou fora do ar entre sexta e sábado e, quando retomado, estava totalmente descaracterizado. Faltavam dados sobre óbitos gerais, diagnósticos positivos em todo o período da pandemia, gráficos que apontavam o avanço diário, entre outras informações relevantes. O Ministério da Saúde realizou uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira, 8, para explicar os sucessivos problemas envolvendo a divulgação de dados epidemiológicos da pandemia do novo coronavírus. Desde a última semana, os números têm saído atrasados, incompletos e até incorretos. Após a repercussão internacional causada pelos episódios, a pasta recuou e voltará a publicar os novos casos e óbitos por volta de 18h, diariamente. Para isso, haverá coleta de números em secretarias regionais até às 16h.

De acordo com a pasta, haverá mudança na metodologia da filtragem. Os óbitos e casos, por exemplo, terão informações que apontem o dia em que ocorreram, não somente do dia da notificação, como ocorrem hoje. Os especialistas da pasta, no entanto, afirmaram que acreditam ser possível superar o já tradicional atraso de notificação dos diagnósticos e mortes confiando na ampliação da capacidade de análises dos laboratórios centrais dos estados. O secretário-executivo da pasta, Élcio Franco, afirmou que não haverá recontagem de casos. Há ainda a promessa de lançamento de uma nova plataforma interativa . O site deve ocupar o espaço deixado pelo painel anterior suspenso e modificado no último fim de semana — com a retirada de dados relevantes, como o número total de mortes, casos e as curvas diárias da doença.

Publicidade