Clique e assine a partir de 9,90/mês

Brasil chega a 1,5 milhão de casos e 63 mil mortes por coronavírus

Segundo dados do Ministério da Saúde, o país teve 42.223 novos diagnósticos e 1.290 mortes em 24 horas

Por Da Redação - 3 jul 2020, 22h50

De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil atingiu nesta sexta-feira, 3, os 1.539.081 casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus e 63.174 óbitos em decorrência da Covid-19. Apenas nas últimas 24 horas, foram 42.223 novos diagnósticos positivos e 1.290 mortes.

Os casos e mortes acumulados na última semana (entre 27 de junho e 3 de julho) totalizaram 264.107 casos e 7.213 óbitos. Isso representa um aumento de 2,9% no número de mortes e um acréscimo de 9,1% nos diagnósticos em comparação aos sete dias anteriores (entre 20 e 26 de junho) quando foram registrados 242.061 casos e 7007 mortes.

A incidência de Covid-19 em todo o país é de 732,4 pessoas a cada 100 mil habitantes. A taxa de letalidade está em 4,1% e taxa de mortalidade de 30,1 por 100 mil habitantes.

Hoje a Revista Veja mapeou como está a situação de cada estado em relação a pandemia e cada um deles mostrou um resultado diferente.

Continua após a publicidade

Olhando o Brasil como um todo, o número de casos saltou 15% na comparação com a semana passada. Em compensação, o número de mortes diminuiu 6,1%. A região sudeste, que conta com o maior número de notificações até então, teve o mesmo comportamento, com os casos aumentando 22,6% e óbitos caindo 15%.

Já a Região Norte, que inclui o Amazonas, estado que vivenciou uma das crises de saúde mais sérias até agora, teve queda considerável tanto no numero de novos casos (-18,9%) quanto no número de mortes (-24%).

Nas demais regiões as curvas seguem em ascensão. No Nordeste, o número de casos saltou 20,3%, e o de mortes, 5,8%. No Centro-Oeste, as notificações subiram 23,3% e os óbitos 16,3%. A região Sul é onde a doença mais avança. O número de contaminados subiu 39,1% e de vítimas fatais 27,1%.

Os estados e regiões se encontram em diferentes períodos da pandemia. Enquanto uma quarentena mais severa começou no Paraná nesta semana, ontem as ruas do bairro do Leblon, na capital do Rio de Janeiro, ficaram lotadas no primeiro dia de reabertura de bares e restaurantes, o que dividiu a opinião pública.

Continua após a publicidade

Na próxima segunda, é a vez da cidade de São Paulo liberar o funcionamento de restaurantes, bares e salões de beleza. Hoje, o governador João Dória, anunciou que teatros e cinemas poderão voltar a funcionar, ao que tudo indica, já no fim deste mês.

Publicidade