Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

A renúncia de May

O anúncio foi feito nesta sexta-feira e líder do Partido Conservador deixará cargo em 7 de junho

Por Da Redação - 24 maio 2019, 19h24

Após quase três anos de sucessivas derrotas nas tentativas de aprovação do Brexit, a líder do Partido Conservador sucumbiu à pressão anunciou sua renúncia ao cargo de primeira-ministra do Reino Unido. Em janeiro, sua primeira proposta sobre o Brexit foi negada por 432 dos 634 parlamentares — a maior derrota sofrida por um governo britânico na história do Reino Unido.

Agora, com a saída de May, o partido, que tem maioria no Parlamento britânico, deve realizar uma eleição interna para escolher seu sucessor. O ex-ministro de Relações Exteriores e rosto da campanha a favor do Brexit, Boris Johnson, já confirmou suas intenções de ocupar o cargo de May. O processo de sucessão deve ter início em 10 de junho.

 

Publicidade

 

Publicidade

O trabalhista Jeremy Corbyn, líder da oposição, pediu a convocação de eleições gerais. Segundo ele, quem se tornar o novo líder conservador deve deixar o povo decidir o futuro do nosso país, por meio de uma eleição geral imediata. O mandato de May entrará para a história como um dos mais curtos na Grã-Bretanha desde a Segunda Guerra Mundial.

Publicidade