Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

A cartolagem merece perder por 7 a 1

A Justiça brasileira precisa completar a dedetização que começou num tribunal de Nova York

Por Da Redação - Atualizado em 10 dez 2018, 14h26 - Publicado em 12 dez 2017, 16h47

Os rumos do julgamento avisam que o saneamento do futebol brasileiro vai começar por Nova York. Completando o bom trabalho do FBI, que se amparou na delação premiada do empresário J. Hawilla, a Justiça americana condenará a uma longa temporada na prisão o quadrilheiros José Maria Marin, ex-presidente da CBF. Também serão punidos o ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira, e o atual, Marco Polo Del Nero, ambos refugiados no Brasil. O que espera a Justiça brasileira para requisitar as incontáveis provas dos crimes cometidos pelo bando e enjaular os que continuarão em liberdade? A goleada sofrida pela cartolagem bandida começou no exterior. Cumpre aos homens da lei do país do futebol impor aos dirigentes ladrões uma versão atualizada do que representou para a seleção de 2016 aquele 7 a 1 contra a Alemanha.

Publicidade