Clique e assine a partir de 9,90/mês

Facebook planeja deixar funcionários em home office permanente

Em comunicado, a empresa diz que não pretende retornar tão cedo aos escritórios e que deve testar o novo modelo de gestão durante a próxima década

Por Da Redação - Atualizado em 21 Maio 2020, 17h08 - Publicado em 21 Maio 2020, 15h58

O Facebook deve permitir que muitos de seus funcionários trabalhem permanentemente em casa, disse o CEO da empresa Mark Zuckerberg, durante uma reunião de equipe transmitida ao vivo em sua página na própria rede social. 

O magnata da tecnologia já havia liberado seus funcionários para trabalhar de casa em março, quando o novo coronavírus começou a se espalhar nos Estados Unidos. No entanto, a ideia que era temporária e baseada no tempo de disseminação do vírus foi repensada, e a agora a intensão é que, dentro de uma década, disse Zuckerberg, mais da metade dos quase 45000 funcionários da empresa realizem o trabalho direto dos seus lares. 

O Facebook começará permitindo que novos contratados e engenheiros seniores, trabalhem remotamente e, em seguida, que os funcionários atuais solicitem permissão para trabalhar em casa, mas somente em caso de terem análises positivas de desempenho. Entre os principais motivos para a decisão, além da pandemia, a companhia calcula se beneficiar com a redução do tempo gasto com deslocamentos e trânsito e com os custos para as atividades realizadas dentro dos escritórios.

O anúncio de Zuckerberg seguiu decisões semelhantes no Twitter e na empresa de pagamentos Square, ambas lideradas por Jack Dorsey, que disse na semana passada que os funcionários de suas empresas poderiam trabalhar em casa indefinidamente. No Google, os funcionários foram informados de que podem trabalhar em casa até o final do ano.

Continua após a publicidade

 

 

Publicidade