Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Amazon começa a testar atendimento médico virtual

O Care, que começa a ser utilizado por funcionários da própria empresa, fornece consultas médicas por um aplicativo. A intenção é reduzir gastos com saúde

Por Da Redação - 25 set 2019, 16h02

A varejista americana Amazon iniciou nos Estados Unidos o teste de um aplicativo próprio de atendimento médico virtual. Inicialmente disponível para funcionários e familiares da sede que fica em Seattle, o novo serviço Amazon Care fornece aos usuários acesso a profissionais de saúde por meio de um sistema de bate-papo, que pode se dar em vídeo e ou em trocas de mensagens.

Ao requisitar uma consulta, o paciente poderá ter desde conselhos a um diagnóstico em tempo real. Se a enfermeira ou o médico que estiver no atendimento achar que é preciso uma avaliação mais detalhada, será recomendado o serviço Mobile Care, pelo qual se enviará um profissional até o funcionário.

O app funcionará em parceria com uma empresa estatal de Washington chamada Oasis Medical Group, que prestará o serviço de telemedicina por meio de call centers. Depois dos testes em Seattle, é possível que o atendimento chegue para funcionários de outras unidades. Uma mensagem enviada aos trabalhadores da varejista sobre o novo programa dizia: “Estamos ansiosos para ajudar a construir e escalar o benefício para atender às necessidades de mais funcionários nos próximos meses e anos”.

A novidade surge no momento em que a Amazon tenta reduzir os custos internos de saúde, enquanto continua a expandir no mercado de serviços virtuais. Em 2018, a varejista lançou a marca Choice, de monitores de pressão e medidores glicêmicos, e o serviço de entrega de medicamentos PillPack. Tudo indica que Amazon pretende dominar mais um setor. E que, claro, os testes com o Care, se derem certo, podem servir apenas de largada para isso.

Publicidade