Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Vacina da Moderna mantém 93% de eficácia após seis meses

Imunizante de empresa norte-americana é a mais eficaz a longo prazo após a aplicação da segunda dose

Por Simone Blanes Atualizado em 5 ago 2021, 19h26 - Publicado em 5 ago 2021, 18h56

A empresa americana Moderna anunciou nesta quinta-feira 5, que a eficácia de sua vacina contra a Covid-19 depois de seis meses é de 93%, porcentagem próxima dos 94,1% pesquisados logo depois da imunização. A companhia reafirmou, porém, que o índice se refere à proteção contra o agravamento da doença. “Reconhecemos que a variante Delta é uma nova ameaça significativa, portanto, devemos permanecer vigilantes”, comunicou Stéphane Bancel, diretor-executivo da Moderna, em nota.

LEIA TAMBÉM: Dados de vida real atestam: vacina boa contra a Covid-19 é vacina no braço

De acordo com os dados divulgados, a vacina da Moderna é a mais eficaz a longo prazo. O imunizante da Pfizer, que apresentou em torno de 95% de proteção contra casos sintomáticos alguns dias depois da aplicação da segunda dose, teve a eficácia reduzida para 83,4% após seis meses. Ambos as vacinas, da Moderna e da Pfizer, usam tecnologia de RNA mensageiro, até agora as que fornecem maior índice de proteção contra o agravamento da doença.

Publicidade