Clique e assine a partir de 9,90/mês

Transplante de barba: saiba como funciona

Nos últimos dois anos, a procura pelo procedimento aumentou 40%

Por Giulia Vidale - Atualizado em 29 dez 2017, 16h38 - Publicado em 28 dez 2017, 18h23

Dizem que a barba é a maquiagem dos homens. Independente disso ser verdade ou não, desde que a moda hipster voltou à cena nos anos 2000, a barba ganhou destaque no estilo masculino. De lá para cá, a tendência aumentou e, hoje, o visual é a marca registrada dos homens modernos. Para aqueles que sonham com um rosto cheio, mas não têm uma genética favorável aos pelos, o transplante capilar é uma opção à qual eles podem – e decidiram – recorrer.

Dados da Sociedade Internacional de Cirurgia de Restauração Capilar (SHRS, na sigla em inglês) mostraram que de 2014 a 2016 os procedimentos de transplante capilar na área da face aumentaram 101% no mundo. No Brasil, um levantamento do Instituto de Medicina do Cabelo estima um aumento de 40% na procura por este tipo de cirurgia no mesmo período.

“O homem do século 21 quer ter barba. Uma pesquisa australiana mostrou que, hoje, aproximadamente 55% dos homens têm barba.”, afirma Márcio Crisóstomo, cirurgião plástico especializado em transplante capilar e de barba.

Transplante capilar

O transplante capilar surgiu na década de 1980 como uma solução para a calvície. Em seus primórdios, a técnica consistia em retirar pequenos tufos de cabelo da região de trás da nuca, por exemplo, e, em seguida, implantá-los na região careca. O problema é que, dessa forma, o resultado ficava artificial.

Continua após a publicidade

Felizmente, a técnica foi rapidamente aprimorada, permitindo um resultado natural. Atualmente, os fios para o transplante podem ser obtidos de duas formas: a primeira é chamada strip (faixa) e consiste em retirar uma pequena faixa de couro cabeludo para obtenção dos fios de cabelo para implante. A segunda é conhecida como método FUE (sigla do termo em inglês que significa follicular unit extraction ou extração de unidades foliculares), onde os fios são retirados um a um do couro cabeludo e depois implantados na região desejada. Esse aperfeiçoamento fez com que o transplante capilar pudesse ser utilizado com sucesso em outras regiões do corpo, como o rosto.

Se a área sem barba for pequena ou o objetivo for apenas a correção de uma cicatriz, como a decorrente da cirurgia de lábio leporino, podem ser utilizados fios da própria barba, retirados geralmente da região do pescoço. Após serem extraídos, os fios são implantados com o uso de micro lâminas especiais.

“Para ficar natural, na região da barba os fios são implantados seguindo a orientação natural do crescimento. Ou seja, rentes à pele e direcionados para baixo”, explica Crisóstomo.

A cirurgia é realizada em centro cirúrgico e dura em média seis horas.  Em um único procedimento é possível transplantar até 10.000 fios, quantidade suficiente para cobrir completamente o rosto de um homem sem barba. A recuperação é praticamente indolor e em uma semana o paciente já tem vida normal.

Continua após a publicidade

Resultados

Ao contrário do implante na cabeça, cujos resultados só podem ser vistos depois de um ano, no rosto, eles já são percebidos após quatro ou cinco meses. O resultado final aparece entre seis a oito meses depois do procedimento. “Os fios implantados crescem normalmente durante a vida do paciente, que pode usá-los no tamanho que quiser e até raspar se decidir mudar de visual. O comportamento é o de uma barba normal”, ressalta o médico.

O valor do procedimento pode chegar a 25.000 reais para transplante de barba completa. Se for apenas uma pequena área, como a correção de uma falha, o valor é reduzido em mais de um quinto.

Para o especialista, embora a moda leve as pessoas a procurarem o procedimento, não é apenas uma questão estética. Os motivos são os mais variados, desde aparência e auto-estima até a camuflagem de cicatrizes, questões religiosas e culturais.

Publicidade