Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Saiba por que usar o celular no banheiro é perigoso

Levar o aparelho para o toilete pode expor os indivíduos a bactérias prejudiciais à saúde, como salmonela e 'E. coli'

Por Da Redação Atualizado em 8 nov 2018, 20h03 - Publicado em 8 nov 2018, 18h05

O celular está muito presente no dia a dia, fazendo parte da nossa rotina mesmo em situações íntimas, como durante o uso do banheiro. Muitas pessoas não conseguem se desconectar do aparelho ou preferem aproveitar esse momento solitário para realizar outras atividades, como ler e-mails, verificar as redes sociais ou responder a mensagens no WhatsApp. Apesar de ajudar na otimização do tempo, esse hábito não é nada saudável, indica uma pesquisa publicado na revista MetroUK.

Segundo os pesquisadores, pessoas que usam dispositivos eletrônicos, especialmente smartphones, podem estar se expondo ao risco de contaminação por bactérias como salmonela, Escherichia coliClostridium difficile, que podem interferir no funcionamento gastrointestinal e causar diversos problemas de saúde.

O risco existe porque a maioria das pessoas toca no aparelho antes de lavar as mãos após de usar o vaso sanitário. O mesmo vale para quem toca na maçaneta de banheiros públicos ao entrar e/ou sair e depois pega o celular. 

Previna-se

Para quem não consegue imaginar ir ao toilete e deixar o celular do lado de fora, uma boa notícia: é possível continuar com o hábito e diminuir o risco de contrair esses germes que representam uma ameaça à saúde“Use o telefone com a mão direita e (ao terminar de usar o banheiro) transfira-o para a esquerda. Limpe-se com a mão direita e dê descarga com essa mesma mão. Você também pode carregar o telefone com a mão esquerda sem tocar em mais nada e depois lavar as mãos. O importante é estar ciente do que suas mãos estão tocando”, recomendou Lisa Ackerley, especialista em higiene, ao MetroUK

Ela ainda comentou que não adianta nada lavar as mãos depois de utilizar o vaso sanitário se, antes de fazê-lo, você tocou no celular. A justificativa: todas as bactérias que foram transferidas para o telefone vão retornar para as mãos quando você tocá-lo. Já Ron Cutler, da Universidade Queen Mary, na Inglaterra, explicou que os níveis de contaminação variam de acordo com a localização do banheiro. No escritório ou em casa, o risco é menor do que em banheiros públicos, shoppings ou hospitais, uma vez que os vírus e bactérias que circulam nesses ambientes são diferentes e possivelmente mais perigosos.

Ainda assim, ele é favorável em manter o smartphone fora de qualquer banheiro. “Basicamente, você não deveria (levar seu telefone para o banheiro) se estiver preocupado com a transferência de vírus e contaminação fecal”, disse.

Higienização do celular

Se as recomendações dos especialistas não foram suficientes para convencê-lo a não utilizar dispositivos eletrônicos no banheiro, existe outra medida que pode diminuir o seu risco de contaminação: limpar o celular pelo menos duas vezes por dia. Para evitar danos, a orientação é nunca borrifar o produto de limpeza direto no aparelho. O ideal é colocar o desinfetante em um pano limpo ou em toalha de papel e depois passá-lo em todo o celular. A orientação dos fabricantes é que o telefone esteja desligado nesse momento.

Além disso, as capinhas de borracha, muito populares como ferramenta para proteger o celular contra quedas, acumulam ainda mais bactérias do que as partes de metal, vidro ou plástico. Por isso, também devem ser higienizadas — por dentro e por fora.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)