Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Obesidade aumenta em até 108% risco de intubação por Covid-19, aponta CDC

Relatório recente do órgão americano confirma a associação entre o excesso de peso e casos severos da doença

Por Giulia Vidale Atualizado em 16 mar 2021, 19h02 - Publicado em 10 mar 2021, 11h32

Desde o início da pandemia, um crescente corpo de evidências mostra que a obesidade é um dos principais fatores de risco para o agravamento da Covid-19, em especial entre pessoas jovens. Um relatório recente, DIVULGADO pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC, na sigla em inglês), confirma a associação entre o excesso de peso e casos severos da doença.

No estudo, publicado no Morbidity and Mortality Weekly Report, analisou dados de aproximadamente 150.000 adultos hospitalizados com Covid-19 nos Estados Unidos. Os resultados mostraram que o risco de ser hospitalizado é 7% maior para adultos com índice de massa corporal (IMC) entre 30 e 34,9 (equivalente à obesidade grau I) e aumentaram para 33% maiores para aqueles com IMC de 45 (obesidade grau IV), em comparação com pessoas com IMC considerado saudável – entre 18,5 e 24,9.

LEIA TAMBÉM: Um remédio para diabetes alcança resultados inéditos contra obesidade

Em relação à probabilidade de internação em unidade de terapia intensiva, pessoas com índice de massa corporal (IMC) entre 40 e 44,9 kg/m2, considerado obesidade grau III, tinham risco 6% maior. Para aqueles com IMC de 45 ou mais, a taxa saltou para 16%. A necessidade de intubação aumentou em 12% entre adultos com sobrepeso (IMC de 25 a 29,2). Esse risco saltou para 108% entre as pessoas mais obesas, com IMC a partir de 45.

“Conforme os médicos desenvolvem planos de tratamento para pacientes com Covid-19, eles devem considerar o risco de resultados graves em pacientes com IMC mais alto, especialmente para aqueles com obesidade grave”, escreveram os pesquisadores.

O risco de morte em adultos com obesidade variou de 8% maior na faixa de IMC de 30 a 34,9 até 61% maior para aqueles com IMC de 45. Entre as possíveis razões para a associação entre excesso de peso e piores desfechos da doença, estão inflamação crônica e função pulmonar prejudicada.

Por outro lado, estar abaixo do peso também foi associado a risco elevado de hospitalização por Covid-19. Por exemplo, pessoas com IMC inferior a 18,5 tiveram uma chance 20% maior de internação do que pessoas na faixa de IMC saudável. Condições médicas subjacentes desconhecidas ou problemas relacionados à nutrição ou função imunológica podem ser fatores contribuintes para essa associação.

De acordo com os pesquisadores, pessoas com IMC saudável ou equivalente à sobrepeso (de 23,7 a 25,9) tiveram os menores riscos de resultados adversos de Covid-19.

Estudo anterior, mostrou que 90% das mortes por Covid-19 no mundo aconteceram em países com alta taxa de obesidade.

Continua após a publicidade
Publicidade