Clique e assine a partir de 9,90/mês

Mulheres mais velhas estão bebendo mais do que o recomendável

Participantes de pesquisa na Austrália e na Dinamarca com idades entre 50 e 69 anos acreditam que não há problema com a prática

Por Da Redação - Atualizado em 20 fev 2020, 20h48 - Publicado em 20 fev 2020, 19h47

Uma nova pesquisa da Universidade Edith Cowan (ECU), na Austrália, descobriu que mulheres mais velhas estão bebendo mais do que o recomendável, o que pode aumentar o risco de morte prematura.

De acordo com autoridades de saúde do país, o limite de consumo alcoólico sem comprometer a saúde é de dois drinques diários e de quatro drinques em uma ocasião especial. As mulheres consultadas na pesquisa, no entanto, consomem quantidades maiores do que o recomendado e acreditam que a sensação de controle da situação e de comportar-se de forma adequada são os verdadeiros termômetros para o quanto devem beber.

A pesquisa, feita em parceria com a Universidade de Aalborg, na Dinamarca, investigou como mulheres de idades entre 50 e 69 anos nos dois países. As informações são do portal ScienceDaily.

Questão cultural

De acordo com Julie Dare, médica responsável pelo estudo, as australianas mais jovens estão começando a diminuir o consumo de bebidas, enquanto as com 60 anos seguem o caminho inverso. “Tendências semelhantes são evidentes na Dinamarca e no Reino Unido”, disse a especialista.

Apesar das semelhanças entre as mulheres australianas e dinamarquesas, há uma diferença cultural relevante. “Se as australianas tinham algum tipo de angústia em suas vidas, elas acreditavam que era aceitável beber”, comentou a médica. Já no caso das dinamarquesas, o álcool não era usado como um escape para tristeza ou stress.

Continua após a publicidade
Publicidade