Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Coronavírus: dupla face e lavável, como deve ser a máscara feita em casa

Ministério da Saúde publicou orientações sobre a produção do item

Por Da Redação Atualizado em 27 abr 2020, 18h43 - Publicado em 3 abr 2020, 11h43

Ministério da Saúde publicou na noite da última quinta-feira, 2, as orientações para a produção caseira de máscaras de proteção facial. O item passou a ser recomendado pelo ministro Luiz Henrique Mandetta para profissionais que não podem seguir as orientações de distanciamento social e precisam de uma “barreira extra” de proteção.

A publicação explica que “é preciso que a máscara tenha pelo menos duas camadas de pano, seja dupla face. E mais uma informação importante: ela é individual. Não pode ser dividida com ninguém”.

Os tecidos sugerido são TNTtricoline e algodão, mas a publicação não cita nenhum tipo de composição que seja desaconselhada. “O importante é que a máscara seja feita nas medidas corretas cobrindo totalmente a boca e nariz e que esteja bem ajustadas ao rosto, sem deixar espaços nas laterais”, diz a orientação.

Os direcionamentos do Ministério dão conta de que a máscara deve ser individual. Não pode ser dividida com ninguém, nem parentes. Cada um deve ter a sua.

O item deve ser usado por cerca de duas horas. Depois é preciso trocar. Portanto, o ideal é que cada pessoa tenha pelo menos duas máscaras de pano.

É importante que o item seja preso com elásticos ou tiras para amarrar acima das orelhas e abaixo da nuca. Desse jeito, o pano ficará firme na proteção da boca e do nariz, sem espaços no rosto.

Ao chegar em casa, lave as máscaras usadas com água sanitária, deixe de molho por dez minutos. Cada um deve lavar sua própria máscara.

    Para cumprir essa missão, serve qualquer pedaço de tecido. Camisas, calças antigas, etc.

    Continua após a publicidade

    Alerta importante: não é indicado ficar tirando e colocando a máscara diversas vezes, nem tocar na parte do tecido, que pode estar infectada. Manuseie o item sempre pelas alças ou elásticos.

    Veja um tutorial fácil publicado pela pediatra Ana Escobar.

     

    ASSINE VEJA

    Até quando? As previsões dos cientistas para o fim do isolamento A imensa ansiedade para a volta à normalidade possível, os dramas das vítimas brasileiras e a postura equivocada de Bolsonaro diante da crise do coronavírus ()
    Clique e Assine
    Publicidade

    Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

    Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

    Domine o fato. Confie na fonte.

    10 grandes marcas em uma única assinatura digital

    MELHOR
    OFERTA

    Digital Completo
    Digital Completo

    Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

    a partir de 9,90/mês*

    ou
    Impressa + Digital
    Impressa + Digital

    Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

    a partir de 49,90/mês

    *Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
    *Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

    PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
    Fechar

    Não vá embora sem ler essa matéria!
    Assista um anúncio e leia grátis
    CLIQUE AQUI.