Clique e assine a partir de 9,90/mês

Ginseng reduz exaustão entre pacientes com câncer

Raiz utilizada como fitoterápico melhora sensação de fadiga, cansaço e indisposição em pessoas que estão passando ou concluíram tratamento

Por Da Redação - 5 jun 2012, 16h49

Pesquisadores da Clínica Mayo, nos Estados Unidos, concluíram que tomar grandes quantidades de ginseng, uma raiz comumente utilizada como fitoterápico, ajuda a reduzir a fadiga e a exaustão em pacientes com câncer. Esse estudo foi apresentado nesta segunda-feira no encontro anual da Sociedade Americana de Clínica Oncológica, em Chicago, nos Estados Unidos.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Phase III evaluation of American ginseng (panax quinquefolius) to improve cancer-related fatigue: NCCTG trial N07C2.

Onde foi divulgada: encontro anual da Sociedade Americana de Clínica Oncológica, Chicago

Continua após a publicidade

Quem fez: Debra Barton, Heshan Liu, Shaker Dakhil, Breanna Linquist e outros

Instituição: Clínica Mayo, Estados Unidos

Dados de amostragem: 340 pacientes que haviam concluído ou que estavam em tratamento contra um câncer

Resultado: Em comparação com pessoas que receberam placebo, pacientes com câncer que passaram dois meses tomando diariamente ginseng relataram sentir 20% menos fadiga e exaustão

Continua após a publicidade

Ao todo, 340 pacientes que haviam concluído ou que estavam em tratamento contra um câncer participaram da pesquisa. Durante oito semanas, parte deles recebeu doses diárias de placebo e o restante, dois gramas de ginseng puro em cápsulas, por dia. Todos precisavam relatar se sentiam desgaste físico, cansaço ou fadiga, e mediam a intensidade da sensação classificando-a em uma escala de zero a 100.

Após quatro semanas do início do estudo, os pesquisadores não observaram diferenças significativas na sensação de bem-estar entre os dois grupos. Porém, depois de oito semanas, os pacientes que receberam a raiz demonstraram uma melhora relevante em relação à fadiga e exaustão em comparação com aqueles que tomaram placebo. Segundo o estudo, após esse período, pacientes que receberam o ginseng relataram sentir 20% menos exaustão do que o restante dos participantes. De acordo com os autores, não houve grandes efeitos colaterais.

Os pesquisadores explicam que a fadiga entre pacientes com câncer tem sido associada a um aumento dos níveis de citocina, uma molécula que age como um mensageiro que desencadeia uma inflamação no corpo. Além disso, estudos feitos em animais indicaram que o ginseng pode reduzir a quantidade da citocina no organismo – o que pode ajudar a explicar resultados. A equipe pretende realizar mais estudos para identificar outras maneiras de reduzir a fadiga sentida por pacientes com câncer.

Publicidade