Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

FDA afirma que remédios contra acidez no estômago aumentam risco de diarreia

Medicamentos utilizados para tratar problemas como azias e refluxo gastroesofágico podem favorecer proliferação de bactéria

O Food and Drug Administration (FDA), órgão regulador de medicamentos e alimentos dos Estados Unidos, divulgou uma nota nesta quarta-feira afirmando que o uso de medicamentos conhecidos como inibidores da bomba de prótons, que diminuem a acidez do estômago e são geralmente prescritos para pacientes com refluxo gastroesofágico, podem causar diarreira ao favorecer a proliferação da bactéria Clostridium difficilem.

Saiba mais

Clostridium difficile

Sob a ação de medicamentos que alteram o equilíbrio do intestino, esta bactéria se multiplica e provoca infecções. Ela pode liberar toxinas capazes de lesionar o revestimento protetor do intestino grosso, causando problemas como diarreias e colites.

O FDA chegou a essa conclusão após analisar 28 estudos sobre o assunto – desses, 23 concluíram que esses inibidores da bomba de prótons aumentam os riscos da diarreia. O órgão também analisou relatórios do seu próprio arquivo e a literatura médica sobre os efeitos do medicamento.

Opinião do especialista

Ricardo Barbuti

médico assistente doutor do departamento de gastroenterologia do Hospital das Clínicas, em São Paulo

O FDA anunciou algo que já se sabia há algum tempo e que é bastante discutido nos congressos médicos. De fato, os medicamentos indicados para a doença do refluxo alteram a quantidade de ácido clorídrico no estômago. O ácido faz parte do suco gástrico e é importante por evitar que certas bactérias passem pelo estômago e provoquem efeitos maléficos no intestino.

Os pacientes podem ficar tranquilos. Estes medicamentos continuam seguros para o uso a longo prazo. Como todo remédio, porém, é preciso uma criteriosa avaliação antes de ser prescrito. É essencial que os efeitos benéficos superem os efeitos colaterais.

Os inibidores de bomba de prótons são comercializados por diversas marcas. Eles são recomendados para reduzir a quantidade de ácido no estômago, para tratar azias frequentes e doenças como o refluxo gastroesofágico, úlceras e inflamação do esôfago. São eles: Dexilant, Nexium, Vimovo, Omeprazol (os quatro são vendidos no Brasil), Prevacid, Prilosec, Zegerid, Protonix, AcipHex, Prevacid 24HR, Prilosec OTC e Zegerid OTC.

Agora, o FDA está trabalhando junto aos fabricantes desses medicamentos para que essas informações sobre as drogas sejam incluídas nos rótulos dos remédios.

O órgão também está analisando o risco de diarreia associada à Clostridium difficile em pessoas que usam bloqueadores de receptores de H2, que também são utilizados para tratar doenças como o refluxo gastroesofágico, úlceras e azia. São eles: Tagament, Axid (são vendidos no Brasil), Pepcid, Duexis, Axid, Nizatidine, Zantac, Tritec, Tagament HB, Pepcid Complete, Pepcide AC, Axid AR e Zantac.

A nota do FDA ainda recomenda, em caso de uma diarreia persistente, os pacientes não devem parar de tomar o remédio sem consultar um médico. Em relação aos profissionais de saúde, a nota do órgão aconselha que o diagnóstico para a diarreia associada à Clostridium difficile seja considerado em pacientes que tomam esses remédios.