Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Facebook e Instagram limitam conteúdo sobre álcool e tabaco

A partir de agora, marcas e grupos que postarem conteúdo sobre bebidas alcoólicas ou tabaco precisarão restringi-lo a maiores de 18 anos

O Facebook terá uma nova política para restringir a venda e limitar conteúdos relacionados ao álcool e produtos de tabaco. A medida entra em vigor nesta quarta-feira. A partir de agora, as marcas que postarem conteúdo sobre bebidas alcoólicas ou tabaco precisarão restringi-lo a maiores de 18 anos. Os grupos criados para a venda, troca, transferência ou oferta de presentes com esses produtos também devem se adequar as novas regras. Por causa disso, a empresa está entrando em contato com os administradores para alertá-los sobre as mudanças.

Uma vez cientes, aqueles que não respeitarem as determinações podem ser removidos da rede social. A política deve valer tanto para o Facebook quanto para o Instagram, em todos os países em que essas redes estão presentes.

Para monitorar a aplicação das regras, a empresa pretende usar uma combinação de tecnologia, revisão humana e relatórios para encontrar e remover qualquer conteúdo que viole a nova determinação. Na área de políticas de propaganda do Facebook, os produtos de tabaco aparecem como proibidos, já o álcool é apenas restrito. 

A decisão é estimulada pelo crescimento do consumo de produtos de tabaco, especialmente cigarro eletrônico, por adolescentes nos Estados Unidos.

Usuários e influenciadores

A norma, no entanto, não se aplica aos usuários das plataformas, que continuam livres para postar esse tipo de conteúdo, incluindo menores de idade. Os influenciadores digitais também poderão continuar promovendo conteúdo pago relacionado ao consumo de álcool e nicotina sem restrição etária. Mas o Facebook informou que já está considerando possíveis mudanças na política voltada para esse público específico.

Segundo uma investigação da rede americana CNN, realizada no ano passado, a Juul – maior fabricante de cigarros eletrônicos dos Estados Unidos – pagou influenciadores do Instagram para promover seu produto. Para especialistas, esse poderia ser um dos motivos que desencadearam a atual epidemia de cigarros eletrônicos entre adolescentes americanos. O Facebook, no entanto, nega que a decisão esteja relacionada a esta questão.

Vale lembrar que no Brasil a venda de cigarro eletrônico é proibida. Mas a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pretende discutir a liberação do produto em agosto. Já a comercialização de bebida alcoólica e cigarro convencional só pode ser feita para maiores de 18 anos.