BLACK FRIDAY: ASSINE a partir de R$ 1 por semana
Continua após publicidade

Exame de sangue pode detectar metástase em pacientes com câncer de pele

Pesquisadores descobriram que uma determinada alteração genética pode indicar se o melanoma, tipo mais agressivo da doença, se espalhou pelo corpo

Por Da Redação
4 nov 2013, 16h29

No futuro, um simples exame de sangue poderá revelar se o melanoma, tipo mais grave de câncer de pele, se espalhou pelo organismo de um paciente com a doença. Um estudo britânico descobriu uma forma de identificar, com base na análise celular, quando uma determinada mutação genética é capaz de espalhar o tumor para outras partes do corpo.

O melanoma tem origem nas células produtoras de pigmentos e, apesar de ser um tipo menos comum de câncer de pele, é considerado o mais grave por geralmente resultar em metástase.

A nova pesquisa foi divulgada durante a conferência do Instituto Nacional de Pesquisa em Câncer da Grã-Bretanha (NCRI, sigla em inglês), que acontece até esta quarta-feira em Liverpool, na Inglaterra. No estudo, os pesquisadores analisaram células cancerígenas obtidas das amostras de sangue de pacientes diagnosticados com melanoma, olhando especificamente para o gene TFP12. Sabe-se que esse gene ajuda a controlar uma proliferação acima do normal de células da pele e, consequentemente, contribui com a prevenção do câncer.

Leia também:

Vacina contra o melanoma começa a ser testada em humanos

Continua após a publicidade

Quatro a cada cinco pessoas com melanoma são curadas

Os cientistas descobriram que pacientes com melanoma apresentam alterações genéticas que “desligam” o TFP12. O grupo também observou que essa mutação ocorre em diferentes níveis, que são maiores quanto mais avançado está o câncer. A partir desses achados, os autores concluíram que medir os níveis de alteração no gene TFP12 pode ser uma forma de identificar quais pacientes com melanoma apresentam metástase.

“Uma vez que o melanoma se espalha, o tratamento se torna muito mais difícil. Detectar se a doença entrou ou não em metástase também é um grande desafio”, diz Tim Crook, oncologista da Universidade de Dundee, na Grã-Bretanha, e coordenador do estudo. “Ao usar o exame de sangue, nós podemos ter uma forma simples e precisa de descobrir o quão avançada está a doença, assim como ter um sinal de alerta sobre se o câncer começou a se espalhar. Há evidências crescentes de que os novos tratamentos são mais eficazes nesses estágios iniciais. Então, identificar a metástase mais precocemente pode aumentar as chances de cura.”

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A melhor notícia da Black Friday

Assine VEJA pelo melhor preço do ano!

BLACK
FRIDAY

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana

a partir de R$ 1,00/semana*
(Melhor oferta do ano!)

ou

BLACK
FRIDAY
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

a partir de R$ 29,90/mês
(Melhor oferta do ano!)

ou

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas. Acervos disponíveis a partir de dezembro de 2023.
*Pagamento único anual de R$52, equivalente a R$1 por semana.