Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Empresa congela corpos para despertarem no futuro

Alcor, instalação criogênica no Arizona, é a companhia à frente do feito. O valor? Seiscentos mil reais. Neurocientistas permanecem céticos quanto à técnica

Por da Redação - Atualizado em 19 fev 2018, 18h59 - Publicado em 19 fev 2018, 17h53

 

Você gostaria de viver para sempre? A Alcor, uma instalação criogênica no Estado Americano do Arizona, acredita que tem o segredo da eternidade.

Ali, cadáveres são preservados na esperança de que a tecnologia evolua e traga-os de volta à vida

Mas o preço é alto: cerca de US$ 200 mil (R$ 660 mil) para armazenar os corpos em nitrogênio líquido a -200°C. Para aqueles que não querem gastar muito, no entanto, há uma opção mais barata: congelar apenas a cabeça.

Publicidade

Mas não trabalham apenas com corpos humos. A empresa afirma que também é possível congelar animais de estimação.

Se funciona?

Neurocientistas não estão muito certos disso. “Não há evidência de que a substância penetre em todos os pequenos poros e filamentos do cérebro e proteja o órgão dos efeitos nocivos do congelamento”, disse Clive Coen, um dos pesquisadores do Kings College.

A Alcor, por outro lado, diz estar otimista com a eficiência da técnica.

Com BBC

Publicidade