Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Covid-19: show na Inglaterra reúne 5.000 pessoas testadas e sem máscara

Projeto piloto funcionou como um teste para analisar a segurança de eventos em massa, sem distanciamento social

Por Giulia Vidale Atualizado em 2 Maio 2021, 23h18 - Publicado em 2 Maio 2021, 23h17

Um festival de música em Liverpool, na Inglaterra, reuniu 5.000 espectadores neste domingo, 2. A apresentação, que reuniu quatro bandas e um DJ, funcionou com um evento-teste do Programa de Pesquisa de Eventos do governo para ajudar a entender o efeito das multidões na disseminação do vírus. Todos os presentes precisaram realizar testes de Covid-19, mas o uso de máscaras e o distanciamento social não eram obrigatórios.

Para os fins de pesquisa, todos os participantes precisavam realizar um teste do tipo PCR antes do evento – e apresentar o resultado negativo para entrar -, e prometeram fazer o exame novamente cinco dias após o festival. Eles também tiveram que fornecer seus contatos para garantir que todos possam ser rastreados no caso de um teste positivo após o evento. Apenas moradores da cidade de Liverpool, acima de 18 anos podiam participar do festival.

Este foi o maior show realizado no Reino Unido desde março do ano passado e faz parte de uma série de eventos-piloto, que irá incluir baladas, jogos de futebol e torneios de sinuca, para explorar como diferentes abordagens de distanciamento social, ventilação e protocolos de teste podem facilitar a abertura e realização de eventos de grande porte no país.

Um evento semelhante realizado em março, em Barcelona (Espanha) não apresentou sinais de contágio. A diferença é que por lá, o uso de máscaras era obrigatório.

Vacinação

O Reino Unido é um dos países mais avançados na campanha de vacinação em massa contra a Covid-19. Até este domingo, 2, 49,8 milhões de doses da vacina já foram aplicadas. Cerca de 52% da população já recebeu ao menos uma dose e 23% já completaram o esquema de imunização. O NHS, autoridade de saúde local, começa a desenhar um plano para vacinar crianças com idade a partir de 12 anos, ainda este ano.

Continua após a publicidade
Publicidade