Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Coronavírus: China aprova uso emergencial de vacina da Sinovac

O imunizante, que está em fase 3 de testes no Brasil, foi aprovado em julho como parte de um programa para vacinar grupos de alto risco

Por Da Redação Atualizado em 28 ago 2020, 19h11 - Publicado em 28 ago 2020, 13h16

A China aprovou em julho o uso emergencial da CoronaVac, vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela Sinovac Biotech, como parte de um programa para vacinar grupos de alto risco, como equipes médicas, disse uma fonte do governo à agência Reuters. Anteriormente, havia sido informado que apenas a vacina desenvolvida pelo Grupo Nacional de Biotecnologia da China (CNBG), da Sinopharm, seria utilizada. Mas, segundo a fonte da agência, a CoronaVac também foi integrada no programa.

A CNBG tem duas vacinas em testes clínicos de fase 3. Não foi informado qual das candidatas teve o uso emergencial liberado na China. Essas vacinas experimentais tem sido aplicadas na China em grupos de alto risco desde julho. De acordo com um oficial de saúde, as autoridades poderiam considerar expandir o programa de uso de emergência para tentar prevenir possíveis surtos durante o outono e inverno no país.

Ambos os imunizantes ainda estão em fase 3 de testes clínicos, que tem como objetivo comprovar a eficácia da vacina na prevenção da doença. A CoronaVac, inclusive, está em testes no Brasil, realizado pelo Instituto Butantan.

Oficialmente, a China deu poucos detalhes sobre quais vacinas foram dadas a pessoas de alto risco no programa de uso de emergência e quantas pessoas foram vacinadas. Segundo informações da mídia estatal local divulgadas em junho, funcionários de empresas estatais que viajavam para o exterior foram autorizados a tomar uma das duas vacinas em desenvolvimento pela pela CNBG. Militares da China também aprovaram o uso da vacina de outra empresa chinesa, a CanSino Biologics.

Continua após a publicidade

LEIA TAMBÉM: Como é o tratamento do novo coronavírus, dos cuidados em casa à UTI

Atualmente, sete vacinas contra o novo coronavírus estão em fase final de testes em todo o mundo, entre as quais quatro são chinesas. Mas nenhuma vacina ainda passou pelo estágio final de testes provando que é segura e eficaz – condições geralmente exigidas para obter aprovação regulatória para uso em massa.

ASSINE VEJA

A esperança dos novatos na bolsa Leia nesta edição: a multidão de calouros no mercado de ações, a ‘lista negra’ de Bolsonaro e as fraudes na pandemia
Clique e Assine

Com Reuters

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês