Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

CDC sugere que 70% dos americanos poderiam dispensar uso de máscaras

Nova diretriz leva em consideração localidades que estão em situação de níveis baixos ou médios de Covid-19

Por Paula Felix 26 fev 2022, 14h44

Em reunião com foco nas estratégias para a convivência com a Covid-19, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) sugeriram nesta sexta-feira, 25, que 70% da população americana estaria apta a dispensar o uso de máscaras. O CDC levou em consideração as pessoas que vivem em localidades com níveis baixos ou médios da doença na nova diretriz.

Diretora do CDC, Rochelle Walensky abordou o cenário de avanço do combate ao vírus a partir da vacinação, das doses de reforço, além do amplo acesso a testes e máscaras que oferecem mais proteção, caso do modelo N95 (PFF2 no Brasil), e dos medicamentos. Segundo ela, 200 milhões de pessoas receberam o esquema primário de imunização e 100 milhões tomaram a dose adicional.

Foi diante deste cenário que o órgão desenhou as novas orientações para as medidas preventivas, que devem considerar três pontos na análise das semanas epidemiológicas: o número de novos casos, novas hospitalizações pela doença por 100 mil habitantes e a capacidade hospitalar. Dessa forma, será possível estabelecer e os índices são altos, médios ou baixos.

“Mais da metade dos condados que representam cerca de 70% dos americanos estão em áreas com níveis de comunidade Covid-19 baixos ou médios. Este é um aumento de cerca de um terço dos municípios em níveis comunitários baixos ou médios na semana passada e continuamos a ver os indicadores melhorarem em muitas comunidades”, afirmou Greta Massetti, integrante da Equipe de Gerenciamento de Incidentes Covid-19. Ela informou que as máscaras devem continuar sendo usadas por pessoas que testarem positivo ou que tiveram contato com alguém infectado.

Na mesma reunião, o CDC atualizou as recomendações para uso da proteção facial nas escolas, que não precisará mais ser utilizada por toda a comunidade escolar e estará restrita a escolas de localidades com níveis altos de Covid-19.

“Nenhum de nós sabe o que o futuro reserva para nós e para este vírus e precisamos estar preparados e precisamos estar prontos para o que vier a seguir. Queremos dar às pessoas uma folga de coisas como usar máscaras quando nossos níveis estão baixos e, em seguida, ter a capacidade de alcançá-los novamente, caso as coisas piorem no futuro”, disse Rochelle.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)