Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Brasil registra mais de 217 mil casos de dengue só em 2024

País registrou mais de 217 mil novos casos e 15 mortes. Ministério da Saúde reforça a importância da vacinação que começa em fevereiro pelo SUS

Por Simone Blanes Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 7 Maio 2024, 16h01 - Publicado em 30 jan 2024, 11h49

2024 começou com um alerta preocupante relacionado à dengue. Nas quatro primeiras semanas do ano, o Brasil registrou mais de 217 mil casos de dengue, segundo dados do Ministério da Saúde divulgados nesta terça-feira, 30 – número quase cinco vezes maior que o registrado no ano passado, com 44.752 casos no mesmo período.

No número de mortes, o painel de monitoramento de arboviroses do governo mostra 15 óbitos provocados pela doença em 2024, além de 149 mortes em investigação.

Segundo a pasta, esse aumento alarmante de casos da dengue no país tem a ver com questões climáticas como a combinação entre as ondas de calor excessiva e as chuvas intensas causadas pelos efeitos do El Niño, além do retorno  dos sorotipos DENV-3 e DENV-4 do vírus da dengue no país.

A importância da vacinação

Na última quinta-feira, 25, o Ministério da Saúde anunciou que a vacinação contra a dengue começará em fevereiro, com o imunizante sendo aplicado gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde) na população de regiões endêmicas.

Continua após a publicidade

Os 521 municípios selecionados pelo governo para receber as primeiras doses da QDenga, vacina da farmacêutica japonesa Takeda, seguem três critérios: priorizar regiões com mais de 100 mil habitantes, a alta transmissão de dengue registrada em 2023 e 2024 e a maior predominância do sorotipo DENV-2.

A vacinação começará por crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos, faixa etária que concentra o maior número de hospitalizações pela doença – 16,4 mil de janeiro de 2019 a novembro de 2023. O esquema vacinal será composto por duas doses, com intervalo de três meses entre elas.

Segundo a pasta, a seleção de um público-alvo e regiões prioritárias para a imunização foi necessária por causa da capacidade limitada de doses fornecida pelo laboratório que fabrica a vacina. A primeira remessa, com cerca de 757 mil doses, chegou ao Brasil no último sábado, 20, de um lote com um total de 1,32 milhão de doses. A próxima remessa, com mais de 568 mil doses, tem entrega prevista para fevereiro.

O Ministério da Saúde também informou que adquiriu o quantitativo total disponível pelo fabricante para 2024: 5,2 milhões de doses. De acordo com a empresa, a previsão é que sejam entregues ao longo do ano, até dezembro. Para 2025, a pasta já contratou 9 milhões de doses.

Continua após a publicidade

País é o primeiro

O Brasil é o primeiro país do mundo a oferecer a vacina contra a dengue no sistema público universal. O Ministério da Saúde incorporou o imunizante contra a doença transmitida pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti em dezembro de 2023.

Mas a pasta alerta para a continuação de estratégias de enfrentamento das arboviroses, principalmente com o período das chuvas e das altas temperaturas, e diante do alerta emitido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o aumento das arboviroses em razão das mudanças climáticas ocasionadas pelo El Niño, somadas ao cenário nacional de reaparecimento dos sorotipos DENV-3 e DENV-4. Ou seja, mesmo com ótima notícia da vacinação incorporada no SUS, vale lembrar que a principal medida é a eliminação dos criadouros do mosquito, que se reproduz em água parada.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.