Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Aplicativos facilitam a vida de pacientes com câncer

Criados para melhorar o canal de comunicação com profissionais da saúde, os apps orientam, informam e tiram dúvidas importantes durante o tratamento

Por Cilene Pereira Atualizado em 20 nov 2021, 10h13 - Publicado em 20 nov 2021, 11h00

Pode ser mais um hábito adquirido durante a pandemia. Mas o fato é que os brasileiros atualmente dispendem mais tempo em aplicativos de bem-estar e saúde. Em 2020, segundo a consultoria internacional App Annie, o total de downloads nessa área cresceu 45% em relação ao ano anterior, superando a alta mundial de 30%. Além das plataformas digitais com foco na pandemia de Covid-19, em nutrição e em exercícios físicos, surgiram iniciativas importantes no setor de Oncologia para melhorar a qualidade de vida dos pacientes.  “Diante do estresse na gestão do tratamento, foram criados aplicativos para facilitar a comunicação com a equipe médica e trazer mais informação e bem-estar ao paciente”, afirma Augusto Takao, oncologista do A.C. Camargo Câncer Center e consultor do Centro de Bem-estar Oncológico da Neolife.

A jornada de alguém com câncer é atribulada e estressante. No início pode incluir biopsia, testes de laboratório, tomografia, ressonância magnética e outros exames mais específicos. Quando o resultado do diagnóstico é positivo, o impacto é grande e a vida do paciente muda completamente. Há uma rotina de consultas médicas, quimioterapia, radioterapia e o uso de diferentes medicamentos. “O paciente fica inseguro e tem medo do estigma, de perder o cabelo e, claro, da morte. Ele precisa de acolhimento, ter espaço para colocar suas dúvidas, ter respostas. E isso não acontece por meio do whatsapp”, diz a oncologista Alessandra Menezes Morelle, idealizadora do aplicativo Thummi. “É importante ter um canal efetivo de comunicação entre especialistas e pacientes”, afirma.

Criado para monitorar sintomas, experiências e ainda sugerir leituras específicas, o Thummi foi um dos seis escolhidos entre 142 concorrentes para participar de um programa de aceleração nos Estados Unidos, com a Velocity TX em parceria com a OBr. Global do Brasil.  Recebeu ainda a premiação da aceleração da FINEP Mulheres Inovadoras 2021, focada em startups lideradas por mulheres de todas as áreas.

No Thummi (nome foi inspirado no deus inca da medicina, Tumi, o paciente relata o que está sentindo e o algoritmo informa se é algo mais grave. Cada efeito adverso é avaliado e o paciente recebe informações sobre como se cuidar e se é preciso procurar o médico que acompanha o caso ou o setor de emergência do hospital. “Por meio do aplicativo, é possível fazer registros diversos, desde os sintomas físicos até humor e a listagem de medicamentos. O app segue a tendência da Medicina de monitorar o paciente onde ele estiver, além de facilitar o trabalho da clínica ou hospital”, afirma Alessandra.

Outro aplicativo que se destaca na área de Oncologia é o Wecancer, especializado na assistência do paciente fora do centro de tratamento. A ideia surgiu a partir dos desafios enfrentados por seus criadores César Filho e Lorenzo Cartolano ao cuidar de suas mães na luta contra o câncer. Com uma equipe formada por médico, enfermeiro, nutricionista, psicóloga, desenvolvedores e outros especialistas, os dois resolveram apoiar pacientes que se submetem ao tratamento oncológico. Criaram então a plataforma com base em pesquisas divulgadas pela American Society of Clinica Oncology (ASCO) que mostram o aumento de sobrevida e da qualidade de vida a partir do registro de sintomas e o monitoramento remoto de pacientes. “No Brasil, falta assistência ao paciente com câncer após as consultas, principalmente em cidades menores. Por isso vejo com bons olhos esses aplicativos que dão suporte, tiram dúvidas sobre tratamentos e procuram melhorar a autoestima”, diz Augusto Takao.

Continua após a publicidade

Publicidade