Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Altos níveis de dopamina estimulam decisões mais arriscadas

Estudo da Universidade College London revela que pessoas com grandes quantidades da substância são mais propensas a se expor a situações de perigo

Por Da Redação 8 jul 2015, 15h26

Um novo estudo realizado pela Universidade College London, na Inglaterra, revelou que o aumento dos níveis de dopamina – um neurotransmissor associado à sensação de recompensa e bem-estar — pode estimular uma pessoa a agir de maneira mais arriscada. Publicado na revista científica Journal of Neuroscience nesta semana, o experimento foi realizado com adultos saudáveis que receberam a substância.

Os 30 participantes tiveram de participar de um teste envolvendo um jogo de apostas em duas situações diferentes. A primeira delas, após receberem L-DOPA, um medicamento à base de dopamina utilizado para tratar doentes com Parkinson. Na segunda situação, os adultos deveriam realizar o mesmo teste após tomarem placebo. Durante a atividade, os participantes eram avaliados se escolhiam opções seguras ou arriscadas, que poderiam resultar em perda financeira.

LEIA TAMBÉM:

Ouvir música libera dopamina – e dá prazer

Cientista encontra alvo para tratar sintomas de Parkinson

A pesquisa concluiu que quando estavam sob o efeito do medicamento, as pessoas optavam por ações mais arriscadas durante o teste. Eles não apenas se arriscavam mais para conseguir premiações melhores, como também escolhiam opções de risco independente da quantia que seria recebida em comparação à opção mais segura. Além disso, quando os participantes tomavam o L-DOPA e realizavam o teste, eles afirmavam estar mais felizes, mesmo recebendo um prêmio pequeno.

Os resultados do estudo são importantes para a compreensão sobre os efeitos da dopamina nas emoções e nos momentos em que a pessoa deve tomar decisões. Eles podem explicar, por exemplo, alguns problemas relacionados a impulsos como vício em jogos.

Continua após a publicidade
Publicidade