Clique e assine a partir de 9,90/mês

Veja Essa

As frases que marcaram a semana

Por Giuliano Guandalini - Atualizado em 31 jan 2018, 15h21 - Publicado em 5 jan 2018, 06h00

Seria humanamente impossível voltar a chacoalhar o esqueleto agora, aos 70 anos, como gostava de fazer. E, se for para cantar sentadinha feito múmia, prefiro ficar em casa tricotando.”

Rita Lee, cantora, que acaba de completar 70 anos, em entrevista ao 'Estado de S. Paulo', explicando por que desistiu dos palcos

Idealizamos a herança de 68, como se fossem só personagens bons. Teve do bom e do pior. Teve gente como Vladimir Palmeira, um dos líderes do movimento, foi do PT, rompeu com o partido por divergências morais. E teve gente condenada, como Zé Dirceu.”

Zuenir Ventura, jornalista e autor de '1968, o Ano que Não Terminou', em entrevista à 'Folha de S.Paulo'

Nós derrotamos a ditadura militar e não vamos permitir a ditadura da toga.”

José Dirceu, ex-ministro condenado a trinta anos de prisão, no blog Nocaute, do jornalista Fernando Morais

O partido não deveria ter aceitado a ingerência do ex-presidente José Sarney.”

Sérgio Moraes, deputado federal (PTB-RS), sobre o veto de Sarney à indicação do deputado Pedro Fernandes (PTB-MA) para o Ministério do Trabalho. Fernandes teria sido barrado por ser alinhado a adversários de Sarney no Maranhão. O ex-presidente negou a interferência

A Defesa torce para que a parceria avance.”

Raul Jungmann, ministro da Defesa, dando o aval à parceria entre a Embraer e a americana Boeing, mas desde que o governo mantenha o controle sobre a brasileira

Graças a Deus, não é uma lesão muito séria e não preciso passar por nenhum procedimento cirúrgico. Volto o mais rápido possível.”

Gabriel Jesus, atacante da seleção brasileira, aliviado com os resultados dos exames após contusão no joelho. O jogador do Manchester City se machucou em partida contra o Crystal Palace, em jogo do campeonato inglês, no domingo 31 de dezembro

Os jogadores tiveram muitas contusões. Vamos matá-los, desse jeito. Os dirigentes precisam refletir. Não é normal jogar no dia 31 e voltar ao campo dois dias depois. Isso não é basquete nem tênis. Eles precisam de descanso.”

Pep Guardiola, técnico do Manchester City, queixando-se do excesso de partidas no futebol inglês durante as festas da virada do ano

 

Mariah Carey
Don Emmert/AFP

Eles me disseram que haveria chá quente. Isso é um desastre. Bem, vamos ter de passar por isso. Serei como todo mundo, sem chá quente.”

Mariah Carey, cantora americana, durante seu show de réveillon, na Times Square. Depois da apresentação, ela recebeu a bebida e pôde se aquecer — enquanto a plateia enfrentava as congelantes temperaturas do inverno de Nova York

Publicado em VEJA de 10 de janeiro de 2018, edição nº 2564

Publicidade